Verão e temporada de chuvas aumentam o risco para eletroeletrônicos

Período do ano com mais incidência de raios pode danificar seriamente e até inutilizar equipamentos

Postado em: em Economia

Com a aproximação do verão, volta também a preocupação com os equipamentos elétricos e eletrônicos de maneira geral. Entre os transtornos previstos para a época das chuvas - que se estende de novembro até março do ano seguinte – estão as fortes tempestades que causam as enchentes, quedas e falhas no fornecimento de energia elétrica. Tais incidentes, causados pelo grande volume de chuvas, geram impactos significativos na vida das pessoas e podem ser sentidos principalmente nas grandes cidades.

O Brasil é líder mundial na incidência de raios, com 50 milhões de descargas por ano, segundo dados disponíveis no site do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat). Só nos últimos seis anos, o país teve um número alarmante de incidência de raios: 77,8 milhões. Para o verão de 2018, segundo os cálculos do Elat, é possível que esse número aumente em até 10%.

Danos a equipamentos eletrônicos e à eletrodomésticos são muito comuns, principalmente durante esse período. Descargas e oscilações na rede elétrica são exemplos de causadores de danos, queima dos aparelhos e outros transtornos. Em contrapartida, o reparo dos aparelhos eletrônicos costuma ser muito caro, tanto pela mão de obra especializada quanto pelas peças que em geral tem um valor elevado, o mesmo se torna mais alto pelo fator de lucro da assistência, mas existem precauções que podem ser tomadas para evitar esses danos.

Primeiramente, porque os aparelhos queimam?

Existem diversos fatores causadores dos danos nos aparelhos eletrônicos. Descargas elétricas, oscilações no sinal, mal contato de fios, oxidação em componentes dos aparelhos, fuga de corrente e etc. No caso de um raio, quando este atinge a rede, percorre toda sua extensão até encontrar um aterramento, onde será descarregado. E é aí que mora o perigo, pois essa descarga de energia vai percorrendo a rede, devastando tudo que vem pela frente até ser descarregada na terra. No caso de quedas de tensão o problema principal não seria exatamente o corte momentâneo na tensão, mas sim o retorno da mesma que vem com uma potência muito elevada, aumentando bruscamente a tensão. Outro causador de danos que, inclusive, é mais comum que imaginamos é o cálculo de disjuntores.

Como evitar os danos elétricos?

No caso de oscilações de energia, queda, sobretensão, ruído na linha, etc, o que se aconselha é o uso de no-break, que filtra a energia elétrica, fornecendo assim uma energia de qualidade e sem ruídos aos aparelhos ligados nele e de maneira linear/constante. As quedas de tensão excessivas também podem estar sendo causadas pela má instalação elétrica e dos disjuntores, então fazer uma análise no sistema elétrico da casa seria uma boa opção de prevenção. O no-break também possui baterias, assim, caso a energia caia, ele seria uma reserva de energia, mantendo o aparelho ligado, podendo evitar danos causados pela interrompimento abrupto de energia. Caso hajam chuvas com raios e/ou se percebe uma oscilação perceptível na energia elétrica, e não se tenha certeza da eficiência do para-raio instalado na residência o mais aconselhável seria desligar todos os aparelhos eletrônicos da residencia até a chuva passar. Os danos também podem ser causados por oxidação no sistema eletrônico, nesse caso não existe uma prevenção, o melhor a se fazer seria levar a um técnico especializado.

Manter equipamentos e eletrodomésticos que não estejam sendo utilizados constantemente fora das tomadas elétricas é o ideal.


Artigos Relacionados