Vendas online: queixas no 1º semestre superam em 55% todo o ano de 2019

De acordo com o Procon-SP, problemas com a entrega são as principais questões registradas

Postado em: em Economia

No primeiro semestre de 2020, a Fundação Procon-SP registrou 121.173 reclamações relacionadas às compras pela internet, um crescimento de 55% em comparação a todo o ano de 2019, que totalizou 78.419 demandas.

As questões mais reclamadas são demora ou não entrega do produto, com 31.614 registros, seguidas por problemas com cobrança (10.559 reclamações).

No primeiro semestre de 2019 foram 33.628 atendimentos e, no segundo, 44.791, somando 78.419 registros. Os principais problemas se repetiram: demora ou não entrega do produto (19.124) e problemas com cobrança (5.605).

Em tempos de quarentena, em que o comércio ficou temporariamente fechado, as compras online se tornaram uma opção fundamental para que a população pudesse manter a compra de itens necessários.

Independentemente do aumento da demanda, de acordo com o órgão estadual, o consumidor não pode ser prejudicado, os fornecedores não podem pensar apenas em vender e devem investir mais no pós-venda para que não haja desequilíbrio na relação de consumo.

Por meio de um guia, os clientes podem saber como evitar problemas nas compras online. 

Para o consumidor que tiver problemas com compras pela internet ou outra questão de consumo, o Procon-SP disponibiliza canais de atendimentos à distância: no site (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, basta marcar @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.


Artigos Relacionados