O que pode abrir a partir de 1º de junho em Franca, Barretos e Ribeirão. Veja

Plano São Paulo, do governo estadual, permite a reabertura, com restrições, de uma série de atividades

Postado em: em Cidades

A partir de segunda-feira (1º), as cidades das regiões de Franca, Ribeirão Preto e Barretos começam a flexibilizar as regras para a retomada da economia.

Parte do Plano São Paulo, elaborado pelo governo do estado para flexibilizar a paralisação das atividades econômicas não essenciais diante da epidemia, os municípios foram separados por fases após serem avaliados pelo número de casos de Covid-19 e pela capacidade hospitalar.

Na fase 2, onde estão os municípios das regiões de Franca e Ribeirão Preto, o governo de SP autorizou a abertura de imobiliárias e serviços, concessionárias e revenda de veículos, escritórios em geral, lojas de rua e shoppings.

Já na fase 3, onde estão as cidades da região de Barretos, além dos estabelecimentos contemplados na fase 2, podem funcionar bares, restaurantes e salões de beleza.

Ribeirão Preto - fase 2

O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) estabeleceu os horários de funcionamento para as atividades liberadas.

Cada estabelecimento é responsável por manter o controle de acesso e o distanciamento entre os clientes, reduzindo a capacidade de atendimento a 20%. 

Consumidores e funcionários precisam utilizar máscara, e os estabelecimentos devem disponibilizar álcool em gel.

  • Imobiliárias e serviços: de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 13h
  • Concessionárias e revenda de veículos: de segunda-feira a sexta-feira, das 12h às 16h, e sábado, das 10h às 14h
  • Escritórios em geral: de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 13h
  • Comércio de rua: de segunda-feira a sexta-feira, das 12h às 16h, e sábado, das 10h às 14h
  • Shopping center: de segunda-feira a sábado, das 16h às 20h

Academias, cinemas, teatros, museus, casas noturnas, bares, restaurantes continuam impedidos do atendimento presencial.

Franca - fase 2

O prefeito Gilson de Souza (DEM) autorizou a abertura de templos religiosos. Os espaços devem limitar a entrada de fiéis em até 30% da capacidade estabelecida nos alvarás de funcionamento ou a uma pessoa a cada quatro metros quadrados. 

É preciso manter distância de dois metros entre os assentos. As pessoas também devem evitar dar as mãos, compartilhar objetos e tocar imagens.

Todos os demais estabelecimentos autorizados, incluindo escritórios e prestadores de serviços, devem respeitar o acesso de clientes em até 20% da capacidade estabelecida nos alvarás de funcionamento.

  • Shoppings e galerias: funcionam de segunda-feira a sábado, das 15h às 19h, e fecham aos domingos e feriados;
  • Lojas de rua: funcionam de segunda-feira a sábado, das 9h às 13h, e fecham aos domingos e feriados;
  • Concessionárias e revendas de veículos: funcionam de segunda-feira a sábado, das 9h às 13h, e fecham aos domingos e feriados;
  • Imobiliárias: funcionam de segunda-feira a sábado, das 9h às 13h, e fecham aos domingos e feriados.

Barretos - fase 3

O prefeito Guilherme Ávila (PSDB) não estabeleceu horário de funcionamento para as atividades que vão ser reabertas, mas o decreto estadual limita o funcionamento delas a quatro horas por dia.

O decreto municipal prevê as seguintes regras:

  • Bares, restaurantes e lanchonetes: cada mesa deve acomodar até quatro pessoas, e estar distante dois metros da outra. A modalidade self-service está proibida.
  • Shopping: podem funcionar lojas âncoras, quiosques, ilhas, bancos, caixas eletrônicos, prestadores de serviços. Fica proibida abertura do cinema. As praças de alimentação devem respeitar o espaçamento de mesas. Deve ser mantido um funcionário nas entradas do centro de compras e na porta de cada loja para entregar álcool em gel aos clientes.
  • Cuidados pessoais: Manicures, pedicures, podólogos, cabeleireiros e barbeiros precisam agendar os horários e utilizar luvas, máscaras, toucas, álcool em gel e demais utensílios ou equipamentos de segurança necessários.

Embora academias de ginástica e estúdios de pilates não integrem a fase 3 do decreto estadual, o prefeito autorizou a reabertura, incluindo os mantidos dentro de clubes de lazer. 

Os estabelecimentos podem receber um cliente a cada 15 metros quadrados e com horário agendado.

Os estabelecimentos religiosos podem abrir para atividades individualizadas, conforme decisão judicial.


Artigos Relacionados