Uber quer lançar transporte via 'drone' até 2023: parceria será com a Joby Aviation

Estimativa do projeto é que as pessoas consigam chegar ao seu destino de forma 5 vezes mais rápida

Postado em: em Trânsito

Há tempos a Uber planeja o lançamento de um serviço de táxi aéreo urbano, e esses planos acabaram de receber um grande incentivo. 

A companhia anunciou que se uniu à Joby Aviation, uma empresa aeroespacial da Califórnia que já vem trabalhando na área há mais de uma década, para concretizar seus planos.

Com a junção de forças, a Joby, fundada em 2009 por JoeBen Bevirt, é a primeira companhia a se comprometer com um planejamento da Uber que exige resultados em curto prazo. O objetivo da empresa é lançar o serviço até 2023.

Em 2018, a Joby começou a ter visibilidade após acumular o investimento de US$ 100 milhões, vindo de empresas como IntelToyota e JetBlue. 

Com esse dinheiro arrecadado, a companhia teve a oportunidade de financiar o desenvolvimento de um protótipo de táxi aéreo. Os testes já vêm sendo feitos, no período da noite, no aeródromo privado da Joby, que fica localizado no norte da Califórnia.

De acordo com a descrição da própria empresa sobre o projeto, a versão de testes do protótipo foi batizada de Rachel "em homenagem às mulheres que seus criadores costumam namorar", e é capaz de fazer decolagem vertical, permanecer 15 minutos em voo por cerca de 24 quilômetros e fazer um pouso seguro.

Protótipo do carro voador da Uber (Imagem: Divulgação/Uber)Protótipo do carro voador da Uber (Imagem: Divulgação/Uber)

"Equipado com motores elétricos e um software de controle sofisticado, o táxi funciona como um cruzamento entre um avião pequeno e um drone, capaz de se descolar logo após a decolagem e voar com o dobro da velocidade de um helicóptero, enquanto faz tanto barulho quanto um enxame de super-abelhas", diz a empresa, afirmando que milhares desses veículos aéreos devem, um dia, transportar as pessoas pelas cidades.

Enquanto o papel da Joby é fornecer os veículos aéreos, o da Uber é de fornecer suporte para o controle de tráfego aéreo, construindo plataformas de aterrissagem, conexões com o transporte terrestre, e reconfigurar o seu sistema para incluir a opção de "carros voadores" no aplicativo.

Segundo o CEO JoeBen Bevirt, a estimativa do projeto é que as pessoas consigam chegar ao seu destino de forma cinco vezes mais rápida do que com um carro. Com isso, congestionamentos urbanos seriam reduzidos consideravelmente e novas maneiras mais sustentáveis de locomoção receberiam um impulso maior.

Além da Joby, a Uber também já fechou parcerias com outras empresas aeroespaciais como Embraer, Jaunt, Karem Aircraft, Pipistrel, Bell e Aurora Flight Sciences.

Fonte: The Verge


Artigos Relacionados