Tribunal de Justiça de SP suspende sessões de julgamento por 30 dias

O Tribunal de Justiça quer reduzir o fluxo de pessoas nos prédios do Poder Judiciário paulista.

Postado em: em Justiça

P​ara combater o novo coronavírus, o Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu as sessões de julgamento em segunda instância e do Tribunal do Júri pelo prazo mínimo de 30 dias.

Estão mantidas as atividades internas das unidades judiciais e administrativas. A suspensão não se aplica aos julgamentos virtuais.

A Corte quer reduzir o fluxo de pessoas nos prédios do Poder Judiciário paulista. 

Outras medidas adotadas foram a suspensão dos prazos processuais, do atendimento ao público e das audiências (exceto as de custódia e as de apresentação, ao juiz, de adolescente em conflito com a lei apreendido e representado). 

Todos os estagiários ficarão afastados pelo prazo inicial de 30 dias, prorrogável, se necessário.

Os juízes diretores de fórum e administradores, quando o caso, tomarão as medidas necessárias para limitar o fluxo de pessoas nos prédios.

A medida permite o acesso apenas daqueles que participarão de atos judiciais ou que comprovarem a necessidade de ingresso, franqueando-se a entrada de membros do Ministério Público, advogados e defensores.

O Conselho Superior da Magistratura editou nesta segunda-feira (16/3) o Provimento 2.545/20 com as medidas adotadas para evitar a disseminação do Covid-19. 

Do provimento constam orientações sobre os casos de afastamento de servidores e magistrados.

Além disso, o texto traz as informações detalhadas para a implantação do trabalho remoto e a quantidade de pessoas em cada equipe que deve trabalhar presencialmente nas comarcas do interior e fóruns da capital, bem como gabinetes e unidades administrativas. 

Clique aqui para ler o Provimento 2.545/20


Artigos Relacionados