​Tarifa da Cemig pode subir 25,8% em revisão tarifária, aponta estudo da Aneel

A audiência pública sobre a proposta de revisão tarifária ficará aberta entre 7 de março e 21 de abril

Postado em: em Economia

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta semana realização de audiência pública sobre o processo de revisão das tarifas da Cemig-D, braço de distribuição da Cemig, com proposta preliminar que elevaria em média em 25,8 por cento as contas dos clientes da companhia.

Para consumidores conectados à alta tensão, o aumento seria de 34,41%, e para a baixa tensão, a alta seria de 22,73%.

A audiência pública sobre a proposta de revisão tarifária ficará aberta para contribuições entre 7 de março e 21 de abril.

Tal decisão afeta os moradores de municípios mineiros próximos a Franca, como Sacramento, Conquista, Delta, Cássia, Delfinópolis, Passos, Pratápolis, São Tomas de Aquino, Claraval, Ibiraci, São Sebastião do Paraíso, Capetinga, entre outras

O custo de transmissão teve impacto de 1,38 ponto porcentual. E o custo de distribuição, representado pela parcela B, teve peso de 4,60 pontos porcentuais. Para este caso, a Aneel usou o WACC vigente, de 8,09%. Juntos, esses itens explicam 12,69 pontos porcentuais.

A outra metade do reajuste proposto diz respeito a componentes financeiros, que, embora elevados, têm efeito de um ano. 

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, reconheceu que o índice proposto é alto. "Isso reforça a nossa encomenda para melhorar o processo tarifário para evitar, na medida do possível, essa volatilidade no comportamento da tarifa", afirmou.


Artigos Relacionados