Supermercados contratam na pandemia e traçam planos de expansão

Supermercados tiveram a vantagem de permanecerem abertos durante a quarentena

Postado em: em Economia

As incertezas quanto aos desdobramentos da pandemia do novo coronavírus no País têm feito boa parte do empresariado congelar investimentos, mas um segmento em particular não deve recuar nas inaugurações e contratações previstas até o fim do ano: o de supermercados.

Por prestarem um serviço considerado essencial, os supermercados tiveram a vantagem de permanecerem abertos durante a quarentena e também foram beneficiados pelo auxílio emergencial de R$ 600 para desempregados e trabalhadores informais de baixa renda, cujo destino principal foi a compra de alimentos, artigos de higiene e medicamentos.

Por causa da pandemia, as vendas do varejo caíram 2,8% em março e 16,3% em abril, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em maio, houve recuperação de 13,9%, insuficiente para repor as perdas, mas impulsionada, em boa parte, pelas vendas feitas em supermercados, que cresceram 14,3% naquele mês.

Além disso, o setor alimentar teve o melhor resultado para o mês de maio em contratações desde 2010. No Estado de São Paulo, foram abertas 1.273 vagas, segundo levantamento feito pela Apas a partir do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O presidente da Apas, Ronaldo dos Santos pondera que os supermercados devem notar uma queda nos negócios à medida que a reabertura do comércio se consolidar. 

O setor caiu de 0,4% em junho, ante o mesmo período de 2019, após ter tido alta de 12,3% em maio, segundo dados exclusivos obtidos pelo Estadão. "O setor já esperava uma retração nas vendas devido ao aumento do desemprego, o que obriga os consumidores a serem mais seletivos."

Algumas redes, como o Savegnago (que possui lojas em Franca) e o Carrefour (controladora do Atacadão, também instalado em Franca), entre outras, já se preparam para uma expansão nestes momentos de pandemia e quarentena.

No Carrefour, a rede manteve os preços de 200 itens básicos congelados desde o início da pandemia e espera aumentar a participação de seus produtos de marca própria, mais baratos, nas gôndolas. Entre o ano passado e este ano, a fatia nas vendas de produtos de marca própria aumentou de 7% para 14%.

Além da expansão no varejo, a expectativa é que o grupo mantenha a previsão de abrir 20 unidades do Atacadão ainda este ano, segundo o executivo.

No interior paulista, a Savegnago tem planos de expansão. Vai abrir uma loja em Limeira e outra em Araraquara e lançar ainda campanha com distribuição de R$ 1 milhão em prêmios.

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".


Artigos Relacionados