Sesi-SP lança Jornada Paz nas Escolas em busca de um ambiente escolar inclusivo

Em parceria com a Fundação Roberto Marinho, iniciativa vai promover discussões e cursos de formação

Postado em: em Educação

O Serviço Social da Indústria do Estado de São Paulo (Sesi-SP) se uniu à Fundação Roberto Marinho, por meio do Canal Futura, para desenvolver uma jornada de mobilização pela paz nas escolas, cujo lançamento será na próxima terça-feira (3/9), no prédio da Fiesp, na capital paulista, a partir das 9 horas. O projeto vai promover discussões, cursos de formação e campanhas de engajamento, envolvendo alunos, profissionais de educação, especialistas e familiares para construir um ambiente escolar inclusivo e de respeito para todos.

Com uma programação extensa, das 9 às 17 horas, a Jornada vai oferecer palestras, talks, oficinas e um cinedebate, além de promover uma maratona de ideias protagonizada por estudantes da entidade. Tudo com o mesmo objetivo de discutir e buscar caminhos para coibir o bullying, a agressividade, a intolerância e outros aspectos nocivos para o ambiente escolar. Em seu lugar, espera-se promover valores como amizade, inclusão, respeito, diálogo, diversidade e muito mais.

O presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf, explica a importância da iniciativa. "Nós sempre acreditamos e apostamos no poder transformador da educação. Mas, para que nossas crianças e adolescentes possam, de fato, percorrer com sucesso a estrada do conhecimento, não basta ter ótimas escolas e excelentes professores. É preciso ter paz. É fundamental que se sintam acolhidos e respeitados no ambiente escolar".

Wilson Risolia, secretário geral da Fundação Roberto Marinho, justifica porque a entidade embarcou nessa Jornada ao lado do Sesi-SP. "A Fundação trabalha há 40 anos com o firme propósito de contribuir para a qualidade da educação básica para todas as crianças brasileiras. Para isso, atua com foco na formação de professores e no desenvolvimento da juventude, por meio da produção de conteúdo, metodologias e ações de mobilização. Por isso, aderimos a essa iniciativa, tão importante para a educação hoje."

O Sesi-SP se viu provocado a desenvolver a Jornada depois da tragédia ocorrida, em março deste ano, na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano-SP. Desde 2002, foi a 8ª ocorrência desse estilo no país, em que alunos ou ex-alunos são autores de violência contra a escola. Sempre que ocorre, esse tipo de evento choca, assusta e preocupa toda a sociedade. Profissionais de educação, alunos, pais e familiares se questionam o que pode levar agressores a atitudes tão brutais.

Foi esse questionamento que estimulou a entidade a se unir aos parceiros para mergulhar no problema e buscar soluções. Espera-se que os caminhos encontrados para um ambiente escolar mais acolhedor beneficiem não apenas as 154 unidades próprias do Sesi-SP no estado, mas também as de todas as 43 prefeituras que adotaram o Método Sesi-SP de Ensino e toda e qualquer escola que se interesse em participar.

Programação

A abertura, que será no Teatro do Sesi, contará com as participações de Paulo Skaf e Wilson Risolia e com a palestra da socióloga Miriam Abramovay, que estuda em profundidade o tema da violência nas escolas. Na sequência, haverá três talks de 15 minutos cada. O psicólogo Joari Carvalho vai discutir as relações entre processos grupais e de comunicação. A também psicóloga e educadora Ana Paula Navarro vai debater metodologias de convivência e valorização das culturas de paz e de cooperação. Já Natalia Ceolin, vai relatar como ela própria praticou bullying na adolescência e de como isso pode ser revertido por meio da conversa franca e da intervenção da escola e da família.

No período da tarde, os mais de 500 participantes precisarão escolher uma entre as cinco atividades a seguir:

  1. Cinedebate do filme "Nunca me sonharam" (2017), com a participação de seu diretor Cacau Rhoden e de Gabriel Medina, do Instituto Itaú Unibanco, no Teatro do Sesi-SP;
  2. Oficina de Saúde Emocional, ministrada pela Associação pela Saúde Emocional de Crianças (ASEC), no auditório do 10º andar;
  3. Oficina de Participação e Governança Escolar, ministrada pela Associação Cidade Escola Aprendiz, no 11º andar;
  4. Oficina de Mediação de Conflitos, ministrada pela Associação Palas Athena Brasil, no 11º andar;
  5. Oficina de Cultura de Paz, também ministrada pela Associação Palas Athena Brasil, no 11º andar.

Ideathon Paz nas Escolas

Em paralelo às palestras, oficinas e o Cinedebate, também no prédio da Fiesp, 60 alunos e professores das unidades do Sesi de Campinas e do bairro paulistano do Ipiranga vão participar de uma maratona para desenvolver projetos de comunicação e mobilização pela paz nas escolas. A abertura contará com uma fala de Jarid Arraes, escritora, cordelista e poeta brasileira, autora dos livros "As Lendas de Dandara", "Heroínas Negras Brasileiras em 15 cordéis" e "Um buraco com meu nome", além de ser criadora do Clube da Escrita Para Mulheres.

Na sequência, os 60 participantes serão divididos em 10 equipes e terão o dia todo para, sob a coordenação da equipe do Acelera FIESP, construir iniciativas que promovam um ambiente acolhedor, livre do bullying e da intolerância, nas escolas. Ao final do dia, será anunciada a equipe vencedora, que terá como prêmio uma viagem ao Rio de Janeiro para participar de uma Oficina Geração Futura, na sede do Canal Futura. Mais do que isso, os vencedores terão a missão de colocar em prática o projeto concebido no Ideathon.

Programação completa da Jornada Paz nas Escolas:

hotsite.fiesp.com.br/downloads/paz-nas-escolas-programacao-final.pdf


Artigos Relacionados