Redução de verba ameaça capacitação de 270 mil produtores ao ano

​Proposta de Bolsonaro pode afetar caixa de instituições como Senar e Sebrae, diz Tirso Meirelles

Postado em: em Agronegócios

Senar, Sistema S


A redução orçamentária proposta pelo governo Bolsonaro ao Sistema S coloca em risco a capacitação de produtores rurais. 

É que a medida, defendida pelo ministro Paulo Guedes, pode afetar o caixa de instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que atende anualmente 270 mil pequenos produtores, e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que estimula um milhão de novos pequenos negócios todos os anos.

Com problemas no orçamento, o governo federal precisa reduzir os gastos públicos, e o Sistema S está na mira dos cortes. 

Na opinião do presidente do Sebrae de São Paulo, Tirso Meirelles, a redução de verba para educação e capacitação vai na contramão da necessidade de geração de empregos no país. 

“Se fizerem as mudanças que pretendem, é um retrocesso”, diz ele.

Segundo Tirso Meirelles, as instituições que compõem o sistema promovem a integração da cadeia produtiva e podem auxiliar o desenvolvimento regional. 

“Se você quer realmente agregar valor, dar emprego e renda, que é o que o governo pretende, o Sistema S consegue fazer isso”, afirma o presidente do Sebrae-SP.

Tirso Meirelles destaca o retorno que o investimento em capacitação e instrução traz para toda a sociedade. 

“A cada R$ 1 que você investe na área da agricultura, voltam R$ 3. Se nós investirmos em tecnologia, em inovação, em aprimoramento da mão de obra, R$ 100 milhões por ano, retornamos para a sociedade R$ 300 milhões.”

Ele afirma que o Sebrae faz 2 milhões de atendimentos, um milhão deles voltados á pequena empresa. 

“Nós fazemos dois milhões de atendimentos no Sebrae, um milhão deles à pequena empresa. Veja a riqueza que isso traz, porque você tira pessoas que não estão trabalhando e traz para a formalidade, para que ela possa ter o seu desenvolvimento junto à sociedade. Você transforma muito mais”, afirma Tirso  eMeirelles.


Artigos Relacionados