Promotor manda Câmara de Franca regularizar serviço de som no prazo de 10 dias

Udecif aciona o Ministério Público para que sessões da Câmara de Franca tenha transmissões de qualidade

Postado em: em Política


Após denúncia apresentada no ano passado à presidência da Câmara de Franca, sem que o problema fosse solucionado, não restou à UDECIF – União de Defesa da Cidadania de Franca –o Ministério Público.

E na Promotoria Pública o assunto tramitou rapidamente, com o Promotor de Justiça Cristhiano Corrales de Andrade dando um prazo de 10 dias para que a situação seja regularizada.

A denuncia encaminhada pela entidade ao Legislativo teve fortes fundamentos, já que a população estava tendo graves problemas pela falta de áudio e imagens das transmissões das sessões ordinárias e de homenagens.

No ofício, Sidnei Elias, presidente da Udecif apontou falhas com relação ao sistema de transmissão de áudio e vídeo das sessões ordinárias realizadas no plenário da Câmara Municipal de Franca. 

Primeiramente, com relação ao Canal 6 da Net, as sessões não são transmitidas ao vivo pelo canal desde junho de 2019. 

A veiculação funcionava através de concessão da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que foi cancelada pelo presidente, deputado Cauê Macris. 

Sobre as transmissões pelo canal institucional da Câmara no Youtube e também pelo canal aberto 61.3, a Udecif reconhece haver imperfeições.

A maior das imperfeições é a qualidade do áudio captado e retransmitido, trazendo dificuldade para total compreensão e entendimento do que está sendo apresentado.

Na época, o presidente do Legislativo, Donizete da Farmácia, explicou que tomou medidas para atenuar os problemas, oferecendo melhor qualidade do som. 

A mesa foi substituída, também houve a substituição do switch de vídeo por um equipamento de última geração, que possibilita que o som das transmissões chegue mais qualificado ao espectador. 

Além disso, está em andamento a elaboração de projeto de reconfiguração total do sistema de áudio do plenário. 

Esse projeto, quando concluído, indicará as medidas a serem tomadas e os investimentos a serem feitos.

Sua conclusão será o ponto de partida para que possa ser iniciado o procedimento licitatório de aquisição dos equipamentos e contratação dos serviços necessários para as melhorias objetivadas. 

Com a entrada de Sérgio Palamoni na presidência a situação ainda não foi resolvida e, por isso, o Ministério Público deu um prazo de 10 para a regularização do problema,conforme decisão do promotor de Justiça Christiano Corrales Andrade. 


Artigos Relacionados