Projeto Guri será mantido em todos os polos do estado de São Paulo

Governador João Doria confirmou apoio para as atividades em Franca na tarde desta segunda-feira, 1º de abril

Postado em: em Educação

O governador do estado de São Paulo, João Doria, afirmou na tarde desta segunda-feira, 1º de abril, que irá aplicar integralmente os R$ 94,7 milhões previstos no orçamento deste ano para o Projeto Guri, para o funcionamento de 382 polos em todo o estado é o atendimento de 64 mil alunos.

O governo de São Paulo voltou atrás e disse que não haverá demissões nem fechamento de polos do projeto.

Parte do dinheiro, R$ 20,7 milhões, que havia sido contingenciado em janeiro (ou seja, seria suspenso ou não disponibilizado), será descontingenciado e liberado totalmente ao projeto, conforme o secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Para 2020, segundo Doria, a ideia é ainda ampliar o projeto, com apoio de recursos da iniciativa privada. “Eu mesmo vou me responsabilizar por esta busca, mas depois de conseguir os R$ 160 milhões para a reforma do Museu do Ipiranga”, disse Doria.

Segundo Sá Leitão, as organizações sociais que são responsáveis pelo projeto “se adiantaram” ao anunciar demissões e dar aviso prévio a professores dos polos, pois o processo ainda estava em negociação sobre quais medidas seriam tomadas devido ao contingenciamento de R$ 150 milhões no total do orçamento deste ano para a Cultura. “A decisão do governador é que nenhuma demissão será feita, nenhum polo será fechado e nenhuma criança ficará sem atendimento”, garantiu Doria.

“Os boatos que se espalharam (do encerramento do Projeto Guri) tiveram efeito positivo para fazer muita gente valorizar o Projeto Guri e mostrar seu relevo estratégico e sua importância”, salientou o secretário estadual.

Segundo o governo, o déficit fiscal projetado de R$ 10 bilhões de 2019 obrigou o governo a contingenciar R$ 5,7 bilhões em todas as áreas. 

Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre seis e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação Casa).

Os mais de 330 polos localizados no interior e no litoral, incluindo os da Fundação Casa, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle das unidades na capital paulista e na Grande São Paulo fica por conta de outra organização social.

A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o projeto já atendeu mais de 770 mil jovens na Grande São Paulo, no interior e no litoral.

Desde 2004, a Amigos do Guri é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do Estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação Casa.

Além do governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas.


Artigos Relacionados