O Perfume

Postado em:

Sempre que o assunto trabalho vem a tona, os amantes de literatura como eu, colocam o assunto do famoso romance de Patrick Suskind ‘O Perfume’ na roda de assunto. Devo admitir que eu nunca o li, talvez até por essa insistência. Para quem não conhece absolutamente nada sobre ele, a sua primeira publicação foi em 1985 e foram vendidos 15 milhões de exemplares em quarenta idiomas diferentes. A história é sobre um homem que possui um olfato apurado, que o permite ‘ver’ o mundo de uma forma diferente e pode orientar-se pelos cheiros.

A parte mais interessante, pelo menos que me contam, é que o personagem principal da história não possui um odor próprio, por isso ele consegue passar totalmente despercebido pelas outras pessoas. Com isso ele cria perfumes de acordo com as circunstâncias de sua vida a fim de ser notado por determinadas pessoas. E como ele faz isso? Assassinando outras pessoas para poder capturar seus odores característicos e assim criar a essência perfeita capaz de incitar o desejo de qualquer pessoa. A inveja e a luxúria presente em cada detalhe da trama.

Essa história volta agora a ser explorada em uma produção alemã da Netflix, com o mesmo nome e com o mesmo apelo na inveja e luxúria. A série O Perfume é uma trama policial com seis episódios, em que uma cantora morre e cinco amigos de infância resolvem ajudar a investigar os fatos do assassinato. Assim como no filme, que é uma adaptação do livro, essa também é uma história sobre a necessidade do ser humano de ser amado e os impulsos gerados por essa carência natural. Em determinado momento, a série revela a admiração dos cinco amigos pela história de Patrick Suskind, e acontece uma cena interessante onde cada personagem dá a sua própria interpretação da história. Casa um tem sua perspectiva, mas todos demonstram serem frustrados pelo sentimento de insignificância e o desejo de ser mais capaz. Uma série que nos coloca para pensar, e que tem sua trama bem enrolada e detalhada nesses 6 episódios!


*Esta coluna é semanal e atualizada às quintas-feiras.