Jovem consegue emprego após viralizar na web vendendo balas na rua

Após conquistar vaga de cuidador, ele criou campanha online para realizar o sonho de se tornar médico.

Postado em: em Cotidiano

Lucas começou a trabalhar após postagem viralizar nas redes socais

Um estudante de Enfermagem de Santos, no litoral de São Paulo, passou a vender balas no semáforo durante a pandemia do novo coronavírus para ajudar a pagar as despesas. 

Lucas Barbosa de Oliveira, de 24 anos, acabou conquistando moradores da cidade, e uma foto dele trabalhando em um dia de chuva comoveu internautas após viralizar na web.

Com a divulgação da imagem e sua história na internet, Lucas conseguiu um emprego como cuidador e começará, nesta semana a atuar como aprendiz em uma clínica.

"Fiquei muito feliz, nunca imaginei que daria essa repercussão. Foi incrível voltar para a minha área, voltar a atuar na saúde", comemora.

Ao portal G1, Lucas contou que a repercussão o incentivou a correr atrás do sonho de ser médico.

Ele explica que não conseguiu se formar em Enfermagem por conta da pandemia, pois ainda precisa completar algumas horas de estágio. 

"Perdi por faltas, trabalhava muito em São Paulo, pegava chuva, sol, frio, enfrentava várias estações em um dia só, e depois de 12 horas de trabalho, ia para o curso", relembra.

A história de superação começou cedo. Aos 11 anos, Lucas perdeu a mãe, que sofria de depressão. O pai também enfrentou um período de dificuldades após a morte da companheira. Por isso, o jovem passou a morar com a avó. Desde essa época, falava do sonho de ser médico.

Em 2017, o estudante decidiu ingressar em um curso de Enfermagem, por ser mais acessível e próximo ao curso dos sonhos. 

Nesse período, passou a trabalhar em São Paulo como ambulante, mas deixou o serviço após muito tempo sofrendo com os 'rapas'. 

"Segui no curso, trabalhei voluntariamente em vários lugares e, há cerca de dois meses, comecei a vender balas nas ruas", conta. A decisão foi tomada após a avó e tia ficarem doentes neste período de dificuldade.

"Pensei: 'tenho força de vontade, tenho garra, vou vender bala, não vou ficar parado'. De imediato, surgiu uma leve vergonha, mas quebrei isso na hora, porque eu fui correr atrás dos meus objetivos e do meu sonho", diz Lucas.

Passar por cima da vergonha rendeu oportunidades ao rapaz. Ele acabou conquistando os moradores da região em que ficava e se tornou conhecido na área. 

O esforço do jovem e sua simpatia, relatada por pessoas que o viam diariamente, fez com que um homem tirasse uma foto do estudante e a publicasse nas redes sociais, o elogiando. A postagem viralizou e fez com que ele começasse a receber ajuda e apoio de moradores e empresários.

"As pessoas me elogiavam pela educação, trocavam uma ideia. Quando não compravam bala comigo, eu não ficava bravo, pensava sempre no próximo carro, na próxima oportunidade. As pessoas me conheciam, davam máscaras, elogiavam porque eu passava álcool em gel e até garantiam que só comprariam da minha bala", relembra o rapaz.

A publicação rendeu um encontro com um empresário, que realizou uma entrevista de emprego com o jovem. Ele indicou Lucas a outras empresas e comprou todas as balas restantes após o dia de trabalho. "Trabalhar é uma chance para retribuir às pessoas tudo o que já fizeram por mim", comenta o estudante.

Lucas comemora as oportunidades e diz que, apesar de não imaginar o rumo que sua história tomaria, se sente muito feliz com as chances de mostrar seu trabalho. 

Após a repercussão, ele decidiu fazer uma campanha online, para quem quiser ajudá-lo a cursar Medicina. "Com o tempo, acabei deixando esse sonho de lado, mas agora voltei a pensar nele e decidi ir atrás", finaliza.


Artigos Relacionados