Governo do Estado prorroga pesagem de caminhões em rodovias

Suspensão atende determinação da Secretaria Transportes desde o dia 23 de março

Postado em: em Segurança

A pesagem no eixo viário da Entrevias está suspensa desde 23 de março, acatando decisão publicada à época pela Secretaria de Logística e Transporte

Em cumprimento à decisão da Secretaria Estadual de Logística e Transportes do Estado de São Paulo e do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), as operações de pesagem de caminhões seguem suspensas na malha rodoviária administrada pela Entrevias Concessionária de Rodovias.

A partir de publicação no Diário Oficial desta terça-feira (25), a suspensão foi prorrogada até 22 de outubro em todas as rodovias estaduais sob concessão ou nas administradas pelo DER.

A medida tem como objetivo contribuir com a manutenção de uma série de iniciativas adotadas pelo governo paulista a fim de combater a disseminação do coronavírus, e, ainda, tornar mais rápidas as viagens, facilitando a chegada das cargas aos seus destinos.

No sistema operado pela Entrevias, a fiscalização é realizada nas rodovias da região de Ribeirão Preto em quatro bases móveis, sendo três localizadas na SP-330 – Rodovia Anhanguera, e uma na SP-322 – Armando de Salles Oliveira.

A pesagem no eixo viário da Entrevias está suspensa desde 23 de março, acatando decisão publicada à época pela Secretaria de Logística e Transporte.

“Manter suspensa a pesagem dos caminhões, operação que tem o apoio das concessionárias, é uma medida do governo estadual necessária para facilitar o escoamento da produção"

"Ao adotar esta prática, é mantida a celeridade no abastecimento de itens essenciais para a cadeia de produção e, principalmente, produtos indispensáveis para o consumidor final". 

"Além disso, é mais uma maneira de proteger os caminhoneiros e operadores das balanças neste momento de risco de disseminação do vírus”, explica Jorge Baracho, gerente de Operações da Entrevias.

PANDEMIA

Ao longo dos 131 quilômetros administrados da SP-330 (Anhanguera), de Ribeirão a Igarapava, veículos pesados representam 40% do tráfego registrado pela companhia. 


Artigos Relacionados