​Governo de São Paulo envia mais 20 respiradores para Franca e já soma 37

Equipamentos permitem ampliar o atendimento de pacientes graves infectados pelo novo coronavírus

Postado em: em Saúde

Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional, e o governador João Dória

Uma medida que se tornou necessidade para Franca. O destino de novos respiradores. Sem que houvesse uma mobilização da Prefeitura, o governo do Estado destina 37 respiradores para a Santa Casa diante da gravidade de coronavirus. (Destes, 17 já estavam em Franca e 20 estão chegando).

A necessidade de Franca é maior do que a de Ribeirão Preto, onde foram destinados pelo Estado 5 equipamentos ao Hospital São Lucas e 6 para o Hospital Santa Lídia. Tanto Franca como Ribeirão estão na fase vermelha do Plano Ação SP.

Atualmente, Ribeirão Preto apresenta 88% de taxa de ocupação de leitos de UTI e Franca está com 85%.

 “Seguimos avançando com o Plano São Paulo. Essas regiões conseguem hoje ter uma melhora nos seus cenários e, para que sigam assim, é fundamental que possam seguir com responsabilidade, seguir cumprindo as regras do plano, para continuar tendo essa melhora na evolução do quadro da pandemia no estado de São Paulo”, afirmou o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

As regiões que seguem na fase vermelha estão recebendo investimento do governo do Estado para aumentar a sua capacidade hospitalar. 

A DRS de Campinas, por exemplo, ganhou essa semana um reforço na sua rede de atendimento com a destinação de leitos do hospital de Campanha do Ibirapuera para atender pacientes dessa região, preferencialmente, e de outras regiões do estado de São Paulo, se necessário.

No estado de São Paulo, o número de leitos de UTI mais do que dobrou – passou de 3,6 mil para 8,1 mil, que contaram com mais de 2,4 mil novos respiradores destinados a serviços do SUS de SP.

Capacidade hospitalar

Segundo os indicadores de saúde nesta sexta atualização, a ocupação de leitos para atendimento a pacientes graves de COVID-19 é satisfatória na maioria das regiões, mas há alerta em relação a cidades dos DRSs de Campinas (80%), Franca (85%) e Ribeirão Preto (88%), além de atenção especial a Barretos (78%), Piracicaba (78%) e Sorocaba (74%).

A média estadual é de 65% de ocupação em leitos de terapia intensiva, com aumento de um ponto percentual em relação à semana passada. 

A média de leitos de UTI para casos graves de coronavírus permanece em 20,2 vagas para cada cem mil habitantes.


Artigos Relacionados