Gilson de Souza deve baixar decreto fechando lojas e indústrias por uma semana

Prefeito atende pedido para evitar a propagação do coronavírus e só libera atividades essenciais à comunidade

Postado em: em Economia

Atendendo pedido da Acif, Unimed e Sindicato do Comércio Varejista, Sindicato dos Comerciários e Sindifran, a prefeitura vai publicar numa edição extra do Diário Oficial, ainda hoje um decreto estabelecendo que estão proibidas as atividades comerciais e industriais por um período, que deve ser de 7 dias.

Conforme pedido feito em reunião ontem no Gabinete do Prefeito, a proposta era fechar estabelecimentos comerciais e industriais, com exceção dos essenciais, para prevenir a propagação do coronavírus.

Como a prefeitura ainda não havia publicado o decreto até a redação deste texto, não se tem maiores informações sobre as atividades proibidas.

O que ficou definido no pedido da Acif e outras entidades ao prefeito foi que se excluíssem as atividades essenciais como farmácias e supermercados e postos de combustível. 

As entidades tinham pedido um período maior de inatividade, de preferência até abril, tempo considerado ideal para evitar o contato público, mas o prefeito deve estabelecer um prazo de apenas sete dias.

A Prefeitura Municipal, que já estava restringindo o atendimento ao público e insistindo nos meios digitais, agora vai parar por 7 dias, dispensando os servidores. Serão mantidos apenas os serviços essenciais.


Artigos Relacionados