Francanos já podem votar para escolha de time do Jogo das Estrelas do NBB

SESI Franca Basquete conta com três selecionáveis para a competição, organizada pela LNB

Postado em: em Basquete

Os francanos já podem votar para escolher os craques do campeonato nacional de basquete e apontar seus preferidos. Começou na quinta-feira a votação popular que definirá os 24 jogadores que disputarão o Jogo das Estrelas do NBB deste ano.

O duelo entre NBB Brasil e NBB Mundo será realizado no dia 18/03 (domingo), no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), e mais uma vez será o público quem definirá os participantes da partida festiva.

O SESI Franca Basquete conta com vários selecionáveis para o time Brasil, uma vez que não conta com estrangeiros em seu elenco, mas somente três estão na lista inicial: Leandrinho, Léo Meindl e Rafael Mineiro.

A votação teve início na noite desta quinta-feira (15/02) através da página especial do Jogo das Estrelas (www.jogodasestrelas.lnb.com.br) e durará até o dia 04/03 (domingo). Na eleição, o internauta formará seu quinteto para as duas equipes. A partir destes votos, serão eleitos os 12 atletas para cada equipe. 

Os quintetos titulares de NBB Brasil e NBB Mundo serão definidos também através de votação popular no site Globoesporte.com na semana do evento.

Os 36 selecionados para a eleição popular foram determinados através de uma pré-votação que contou com as participações de técnicos, assistentes e capitães das equipes que disputam o NBB CAIXA, além de imprensa especializada e personalidades do basquete.

Cada categoria de eleitores teve um peso diferente atribuído: os votos dos técnicos representaram 50% do resultado final, os dos capitães e assistentes 20%, enquanto que as escolhas da imprensa e personalidades do meio do basquete somaram 30%. Esta votação também definiu os técnicos e assistentes para NBB Brasil e NBB Mundo.

Primeiro e segundo colocados do NBB CAIXA até o momento, Paulistano e Flamengo terão seus técnicos no Jogo das Estrelas. Mais votado, Gustavo De Conti comandará o NBB Brasil, enquanto que José Neto, segundo mais votado, dirigirá o NBB Mundo. Terceiro na votação, Rodrigo Barbosa (Caxias) será auxiliar de Gustavo, enquanto que Helinho (Franca) ajudará Neto.

De volta ao basquete brasileiro após longo período na NBA, Anderson Varejão e Leandrinho Barbosa foram pré-selecionados e estão na briga por um lugar no NBB Brasil. Além da dupla, Alex, Giovannoni, Hettsheimeir, Larry, Marquinhos e Marcelinho são outros que disputaram os Jogos Olímpicos pela Seleção Brasileira e que lutam por uma vaga no jogo festivo.

Líderes do ranking de assistências, os armadores Gegê (Minas) e Elinho (Paulistano) tentam um lugar no Jogo das Estrelas pela primeira vez, assim como Cauê Borges (Caxias), uma das principais surpresas da temporada.  Com apenas 18 anos, o garoto Yago Mateus (Paulistano) é outro nesta condição e ainda ostenta o posto de mais jovem da lista.

Encabeçado pelo ala Shamell, único atleta a participar de todas as edições do Jogo das Estrelas, o NBB Mundo tem seis nacionalidades diferentes entre os 18 pré-selecionados. Com 11 atletas, os Estados Unidos dominam a lista, que ainda conta com representantes da República Domincana, Venezuela, Peru, Lituânia e Bahamas.

Entre os 18 gringos, dez disputam o NBB CAIXA pela primeira vez e, agora, lutam para estrear no Jogo das Estrelas. Já os “veteranos” Shamell, Anthony, Bennett, Dawkins, Ramon, David Jackson, Holloway e Tyrone possuem múltiplas participações no Jogo das Estrelas do NBB CAIXA.

O Flamengo é a equipe com mais representantes na votação, com sete no total – quatro no NBB Brasil (Marquinhos, Marcelinho, JP e Varejão) e três no NBB Mundo (Cubillán, Ramon e Rhett). Já o Paulistano/Corpore teve seis atletas pré-selecionados, sendo quatro no time brasileiro (Elinho, Yago, Deryk e Lucas) e dois na equipe de estrangeiros (Fuller e Nesbitt).

Em sua décima edição, o Jogo das Estrelas irá para sua oitava versão com o duelo entre os melhores brasileiros e estrangeiros do NBB CAIXA. Com duas vitórias seguidas, o NBB Mundo cortou a desvantagem do NBB Brasil no histórico do confronto para 4 a 3.



Artigos Relacionados