Franca sai e Ribeirão Preto entra na lista das 10 cidades que mais geram empregos

Capital, Campinas e Ribeirão Preto são as que entraram no ranking das 10 que mais empregam

Postado em: em Economia

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontam que Ribeirão Preto está entre os 10 municípios que mais geraram vagas de emprego de janeiro a agosto de 2018 no Brasil.

Ao todo, foram disponibilizados 4.861 novos empregos no município, o que faz da cidade a 10ª com mais oportunidades do País. O ranking é liderado por São Paulo, com 53.905 vagas, e por outras capitais, como Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e Goiânia.

No Estado paulista, Ribeirão Preto aparece como a terceira com mais vagas. A cidade está atrás da capital e de Campinas, com 5.208 oportunidades. Mesmo estando em terceiro lugar no total de empregos, Ribeirão Preto está à frente de Campinas na divisão de vagas por habitante. Enquanto a cidade, com 694.534 munícipes, oferece uma vaga para cada 142 pessoas, Campinas, com 1.173.370 de habitantes, disponibiliza uma para cada 225 indivíduos.

Atualmente, os setores que mais contratam em Ribeirão Preto são: Serviços Gerais (3.822 vagas), Construção Civil (670 vagas), Comércio (383) e Indústria (154 vagas).

Além disso, pode-se destacar também as 10 vagas que mais abriram na cidade, que foram: Auxiliar de Limpeza, com 537 novas contratações, Auxiliar de Escritório, com 517, Vendedor em Domicilio, com 381, Servente de Obras, com 270, Técnico de Enfermagem, com 254, Assistente Administrativo, com 221, Pedreiro, com 205, Porteiro de Edifícios, com 185, Auxiliar nos Serviços de Alimentação, com 182, e Almoxarife, com 180.

Confira o ranking das 10 maiores geradoras de empregos do país:

1 - São Paulo (SP) - 53.905
2 - Belo Horizonte (MG) - 26.889
3 - Brasília (DF) - 14.999
4 - Curitiba (PR) - 10.764
5 - Goiânia (GO) - 7.045
6 - Joinville (SC) - 6.652
7 - Caxias do Sul (RS) - 6.016
8 - Cristalina (GO) - 5.572
9 - Campinas (SP) - 5.208
10 - Ribeirão Preto (SP) - 4.861

Os números positivos são confirmados pelo Diretor Regional da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho, Ismael Colosi. Para ele, o cenário de empregos em Ribeirão Preto está positivo e retomando a força. “Em 2015 e 2016, perdemos exatamente 10.183 postos de trabalho. Em 2017 fechamos o ano com saldo positivo de 915 novas vagas e até o mês de agosto de 2018 já acumulamos 4.861 novas contratações. No mesmo período do ano de 2017, no mês de agosto, a cidade criou 51 novos postos de trabalho. No acumulado de janeiro a agosto, foram 951 novas contrações”, fala Colosi.

A Secretaria Estadual do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), por meio de estudos com a ACIRP, estima que em 2017 Ribeirão Preto possuía entre 30 e 40 mil pessoas em busca de uma oportunidade de emprego.  Comparando 2017 e 2018, Ribeirão Preto criou em agosto deste ano, 35 vezes mais vagas que em agosto do ano anterior (1813 contra 51), e de janeiro a agosto de 2018, cinco vezes mais vagas que no mesmo período de 2017 (4861 contra 917).  

“Esses números demonstram que nosso município está se recuperando e com um bom momento para as pessoas que estão em busca de uma oportunidade de emprego. Das 110.431 novas vagas que o Brasil abriu em agosto, 1,64% foram criadas aqui em Ribeirão Preto (1.813): mais um sinal do nosso potencial e importância como município e economia local e regional”, explica o diretor.

Para Colosi, a sensação de que ainda está muito difícil conquistar um emprego, deve-se ao grande número de profissionais disponíveis no mercado de trabalho com experiência e qualificação. Isso deixa os processos seletivos mais competitivos agravado pelo fato de que alguns aceitam receber salários abaixo do que estão acostumados com o intuito de garantir a vaga.

“As dicas para quem está à procura de recolocação no mercado de trabalho é focar em uma área que já possui experiência e/ou qualificação. Não ficar em busca de vagas que estão fora de sua área de atuação e/ou experiência. E sempre buscar por capacitações e qualificações, neste sentido a SERT oferece gratuitamente oportunidade de  capacitação através do Programa Time do Emprego; que são oficinas para que os trabalhadores possam identificar suas habilidades e competências e  aprenderem como elaborar um currículo, como participar de entrevistas de emprego e outros assuntos relacionados ao mercado de trabalho”, diz Colosi.

Primeiro emprego

Segundo o diretor, as pessoas que procuram iniciar no mercado de trabalho precisam buscar por capacitação. Em 2018, as funções que mais admitiram pessoas sem nenhuma experiência foram: Auxiliar de Escritório, com 774 contratações, Operador de Telemarketing Ativo e Receptivo, com 528, Vendedor de Comercio Varejista, com 378, Assistente Administrativo, com 370, Atendente de Lanchonete, com 370, Auxiliar de Limpeza, com 166, Repositor de Mercadorias, com 147, Embalador, com 135, Operador de Caixa, com 128, e Vendedor em Domicílio, com 126.

“Com essas informações, por exemplo, os candidatos podem focar na busca por uma vaga nessas 10 funções e/ou buscarem qualificação e capacitação nestas áreas ou correlatas, o que aumenta as chances de sucesso. Outra dica importante é que se possível a pessoa adquira experiência na área que ele deseja através de trabalhos voluntários e estágios não remunerados”, finaliza.

 (Com informações do Portal Revide)


Artigos Relacionados