Exportações de café diferenciado brasileiro aumentaram 27%

Volume vendido ao exterior nesse período somou 31,376 milhões de sacas a US$ 145,13

Postado em: em Agronegócios

Dados do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) apontam que as exportações brasileiras de cafés diferenciados, no período entre janeiro e novembro deste ano, atingiram uma média de 5,637 milhões de sacas de 60kg. Esse volume apresenta um crescimento de 27,16% quando comparado com o ano passado.

Se for estabelecido um comparativo do mesmo período nos últimos cinco anos, verifica-se que as exportações dos cafés diferenciados do Brasil foram de: 7,459 milhões de sacas em 2014; 8,312 milhões em 2015; 5,443 milhões em 2016; e 4,433 milhões em 2017.

Com esse desempenho, o volume exportado dos cafés diferenciados nos onze primeiros meses deste ano gerou US$ 1,009 bilhão de receita cambial para o Brasil, atingido um preço médio de US$ 178,98 por saca exportada. Esse preço médio foi 33,9% superior ao preço dos cafés verdes (naturais/médios), que atingiram US$ 133,70 por saca.

Com relação às exportações totais de Cafés do Brasil, o volume vendido ao exterior nesse período somou 31,376 milhões de sacas, ao preço médio de US$ 145,13, perfazendo receita cambial de US$ 4,554 bilhões.

Para o Cecafé, conforme os dados do relatório, ainda com relação às vendas ao exterior no mês de novembro, vale destacar que o preço médio por saca dos diferentes tipos de cafés exportados foi o equivalente a US$ 131,56. No caso do café arábica, destaca-se que ele foi vendido ao preço médio de US$ 132,72 e o café robusta a US$ 96,86 para cada saca. Em relação ao café solúvel, devido à agregação de valor, o preço médio atingiu US$ 146,71 por saca.

O relatório completo está disponível aqui.


Artigos Relacionados