Escolas da região ficam sem aula no primeiro dia de paralisação dos servidores

A paralisação dos trabalhadores da educação estadual deve se estender até amanhã (quarta)

Postado em: em Trabalho

No primeiro dia de paralisação dos servidores da educação estadual realizado nesta segunda-feira (11), 125 escolas confirmaram paralisação total das atividades. Em Minas, 3.461 unidades escolares estão vinculadas ao Estado. A informação é da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Na região de Franca podem ser atingidas as cidades mineiras de Cássia, Passos, Ibiraci e Delfinópolis, na região mineira próxima Franca serão atingidas populações de cidades como Delta, Conquista, Sacramento, Claraval, São Tomás de Aquino, Paraíso, São João Batista do Glória, Capetinga, Pratápolis, Itaú, São José da Barra, Monte Santo e Itamogi, entre outras.

Durante o último congresso dos trabalhadores em educação da rede estadual de Minas Gerais promovido pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), entidade que representa a categoria, os servidores aprovaram a paralisação total das atividades da educação no Estado até que o governo do Minas efetue o pagamento da primeira parcela dos salários.

A mobilização tem como objetivo também pressionar o governo a mudar sua política de parcelamento dos salários e retornar a realizar o pagamento dos salários no quinto dia útil.

De acordo com uma nota divulgada pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), o órgão foi notificada pelo Sind-UTE sobre a paralisação das atividades da categoria a partir desta segunda-feira (11).

Ainda de acordo com a SEE, “como já anunciado pelas Secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e de Planejamento e Gestão (Seplag), a primeira parcela será paga na próxima quarta-feira (13/6) e os critérios para pagamento dos salários permanecem os mesmos dos meses anteriores”.

O Hoje em Dia entrou em contato com o Sind-UTE/MG, através da sua assessoria de comunicação, para saber qual foi o balanço da adesão dos servidores da esducação estadul ao movimento neste primeiro dia de paralisação, mas a assessoria não possuia essa informação.

Nesta terça-feira (12), a Proposta de Emenda à Constituição Estadual (PEC 49), que tramita na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), e propõe o pagamento do piso nacional dos professores, terá parecer votado na Comissão Especial às 15h30, no auditório José de Alencar, na ALMG.

De acordo com informação do Ministério da Educação, o piso nacional do magistério em 2018 é de R$ 2.455,35, para jornada de 40 horas semanais.

Veja o calendário de pagamento dos servidores do Estado, divulgado pelas secretarias estaduais de Fazenda e Planejamento e Gestão, aqui.


Artigos Relacionados