Escola de Hipismo de Franca completa um mês com 51 crianças e jovens carentes

Alunos recebem desde orientações de como se aproximar do cavalo, colocação da sela a outros

Postado em: em Esportes

A Escola Municipal de Hipismo de Franca, projeto de aulas gratuitas de hipismo patrocinado pelo Governo Municipal através da FEAC (Fundação do Esporte, Arte e Cultura de Franca) já é uma realidade.

Voltada a crianças e jovens carentes, a escola já conta com 51 alunos em seu primeiro mês de funcionamento.

De acordo com Adalgisa Quireza Jacob, dirigente do Clube Hípico de Franca, que em parceria com a prefeitura viabilizou o projeto, a frequência de 100% dos alunos até o momento, comprova o interesse e motivação pelas aulas, envolvendo atividades que extrapolam o simples “andar a cavalo”, e cita as orientações passadas pelo monitor Eduardo Machado sobre, por exemplo, de como cuidar dos animais.

Os 51 alunos efetivados foram selecionados por critério social, entre as mais de 150 inscrições recebidas, e antes mesmo do começo das aulas, houve uma reunião com os pais e as crianças, tratando do conteúdo geral e entrega do manual de instruções, onde disciplina, assiduidade e respeito são algumas das diretrizes. Por exemplo, havendo mais de 3 faltas sem justificativa, o aluno é desligado e substituído pelo próximo da lista de espera.

As aulas têm duração de 1 hora para cada grupo de 5 alunos, que recebem orientações elementares de como se aproximar do cavalo, colocação da sela e dos acessórios e a higienização dos animais após as atividades. Noções que os preparam para o futuro nos vários campos disponíveis de profissionalização dentro do esporte e de lida com cavalos. As atividades no Clube Hípico acontecem de segunda a quinta-feira, em dois períodos, com início às 8h e seguindo até por volta das 17h.

Na terça-feira 7, participavam das aulas do período da manhã os alunos Raul César Oliveira, 10 anos, do Parque São Jorge; João Vitor Lourenço Cunha, 11 anos, do Recanto Elimar; João Paulo Matias de Souza, 11 anos, da Santa Cruz; Beatriz de Souza Andrade, 12 anos, também da Santa Cruz, e os irmãos Rafaela Alves Lima e Guilherme Alves Lima, de 13 e 12 anos, respectivamente.

Elizabeth Matias, mãe de João Paulo, que o leva de moto, diz que a terça-feira é sagrada para o filho, que sonha em ser veterinário e cujo entusiasmo pelos cavalos está visível nos seus olhos. O mesmo entusiasmo é percebido na aluna Beatriz de Souza, em Raul César e nos demais alunos.

Para Adalgiza, além de ser uma experiência de grande importância para as crianças e jovens, é um exemplo que Governo Municipal oferece de preocupação com formação do cidadão e que vale a pena conhecer. As aulas ocorrem no espaço equestre próximo ao Clube de Aeromodelismo, pouco adiante do antigo Aterro Sanitário, região norte da cidade.


Artigos Relacionados