Demétrius e Helinho só querem colocar Bauru ou Franca na final paulista

A TV-FPB e a ESPN vão transmitir a partida decisiva direto do ginásio Panela de Pressão

Postado em: em Basquete

Fora das quadras, dois amigos que se consideram irmãos e que viveram boa parte da vida no esporte, juntos. Em família, nos clubes e na Seleção Brasileira. A relação entre Demétrius Ferracciú e Hélinho Garcia não é de agora. Vem bem antes deles nascerem, Vem dos pais, Édson Ferracciú e Hélio Rubens Garcia, que jogaram juntos na equipe de Franca. 

Neste sábado (6), a partir das 19 horas, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, os dois estarão em lados opostos mais uma vez, agora como técnicos. Demétrius, técnico do Bauru. Helinho, do Sesi/Franca.

A série melhor de três pela semifinal do Campeonato Paulista da Divisão Especial Série A-1, está empatada em 1 a 1. O vencedor do jogo irá fazer à final contra o atual campeão Paulistano, já classificado. A Watch ESPN e a TV-FPB irão transmitir ao vivo a partida deste sábado.

Tanto Demétrius, com mais tempo como treinador, como Helinho, que teve carreira mais longa, são dois adeptos à filosofia de jogo que viveram como jogadores sob o comando do técnico Hélio Rubens Garcia. E fazem questão de enaltecer esse detalhe. “Ele foi nosso mestre em todos os sentidos”, confessam.

Com relação ao confronto deste sábado, ambos são categóricos: vai ser um jogão. Afinal irá envolver duas das principais forças do interior do Estado. E apesar da enorme ligação de amizade existente entre os dois treinadores, cada uma vai fazer o possível para deixar o amigo-irmão triste com a derrota.

“Eu tenho uma amizade grande com o Helinho que se pode dizer irmandade. Jogamos juntos em Franca, depois fomos para o Vasco da Gama, na Seleção Brasileira e conquistamos muitos títulos nas equipes que jogamos e isso com certeza vai fazendo história e ficou marcado em nossas carreiras dentro e fora das quadras. Existe muito respeito entre um e outro, mesmo quando fomos adversários como jogador, tivemos muito respeito pelo outro e hoje não é diferente como técnico. Ele em Franca eu aqui em Bauru e já tivemos vários confrontos e com vitórias dos dois lados”, disse Demétrius.

Sobre as qualidades de Helinho, o técnico de Bauru acrescenta. “Sempre estamos aprendendo um com o outro. E fora da quadra sabemos separar bem isso de adversário, em especial momentos de playoff que é algo diferente com relação à fase de classificação, bem como é bem diferente quando estamos de férias, porque vamos sempre cultivar nossa amizade e sempre crescer a cada ano que passa, com as duas famílias interagindo. É isso que fica nas nossas vidas. Tenho muita satisfação e orgulho de ser amigo dele, ao mesmo tempo que vamos continuar tendo esses confrontos e a rivalidade sadia dentro da quadra”.

Helinho Garcia está começando a carreira de técnico, ao contrário de Demétrius, que começou em Limeira e já esteve no Minas Tênis, antes de chegar no time de Bauru, coincidentemente onde ele começou a carreira de jogador na categoria mini.

“Para mim é uma alegria enorme ver o trabalho que o Demétrius está desenvolvendo em Bauru e eu aqui em Franca. Temos uma mesma escola de trabalho e o mesmo aprendizado que tivemos quando jogamos juntos sob o comando do meu pai (Hélio Rubens Garcia) que por muito tempo foi nosso técnico. A gente preza muito pelas mesmas coisas e isso torna sempre bons embates. No ano passado perdemos no Brasileiro, ganhamos no Paulista e agora na série semifinal estamos empatados, mas está aberta porque o equilíbrio é muito grande e para mim é sempre uma alegria e motivação enfrentar o Demétrius de uma forma íntegra, coerente e sempre zelando pelo que aprendemos dentro do esporte”, disse o treinador de Franca.

Um dos melhores momentos de Helinho e Demétrius, na Seleção Brasileira, foi a conquista do título da medalha e ouro no Pan-americano de Winnepeg, no Canadá, em 1999, na época sob o comando do técnico Hélio Rubens Garcia.​


Artigos Relacionados