Cursinhos Comunitários da Unesp se destacam na aprovação de vestibulandos

Iniciativa soma 28 unidades, inclusive de Franca, ligadas aos câmpus da Unesp distribuídos por todo o estado

Postado em: em Educação

Alunos aprovados do cursinho Atlas, em São José do Rio Preto (Foto: ACI)

Os c​ursinhos pré-vestibular da Unesp tiveram sucesso na aprovação de alunos em universidades públicas, pelo Sistema de Seleção Unificada (SiSU) e de bolsas em instituições particulares. 

Em Bauru, o cursinho Ferradura teve 48 alunos aprovados, enquanto em São José do Rio Preto, foram mais de cem alunos dos cursinhos Atlas e Vitoriano aprovados.

Os Cursinhos Comunitários da Unesp são parte de um projeto da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proex) com o objetivo preparar jovens e adultos de baixa renda para o vestibular oferecendo cursos preparatórios gratuitos. Franca também conta com a iniciativa, que vem registrando ao longo dos anos, resultados muito positivos.

As atividades dos cursinhos são coordenadas por docentes da Unesp e suas aulas são ministradas pelos próprios alunos da universidade. O projeto soma, atualmente, 28 unidades distribuídos pelos diferentes câmpus da Unesp pelo estado de São Paulo, cada um com seu próprio nome e identidade.

 Yasmin Letícia Porfirio de Almeida, de 18 anos, estudou no cursinho Atlas, na Unesp de São José do Rio preto por dois anos e teve sua aprovação no curso de Letras da Unesp na mesma cidade.

"Eu não fazia a menor ideia de como fazer para prestar vestibular, como funcionava ou o que escolher de verdade. Eu ia mais por coisas que eu achava que queria, sem contar que eu não sabia direito a minha forma de estudo e como absorver tudo, então, acho que sem o Atlas seria bem difícil chegar até aqui", relatou.

01yasmin.jpg
Yasmin Letícia Porfirio de Almeida, de 18 anos, foi aprovada no curso de Letras, na Unesp em São José do Rio Preto (Crédito: ACI/Ibilce)

Professor de química e coordenador do cursinho Atlas, Luan Viana, de 22 anos, vê no dia-a-dia o esforço dos alunos que buscam uma vaga na universidade. 

“A gente que vê os alunos desde o começo do ano, principalmente aqueles que trabalham, estão no terceiro ano do ensino médio ou do ensino técnico, fazem cursinho e conseguem passar na faculdade. Acho que nós ficamos mais emocionados que eles porque acompanhamos o progresso de cada um e não tem felicidade maior do que ver esses estudantes passando e realizando um sonho”, contou.

No câmpus de Bauru, o cursinho Ferradura registrou neste ano um recorde de aprovações. Com unidades em Bauru, Agudos e Pederneiras, o pré-vestibular somou 48 aprovações. 

Em 2018, foram 16. A capacitação do corpo docente, formado por alunos de graduação e de pós da universidade, está entre os principais fatores para esse aumento.


Artigos Relacionados