Crédito imobiliário tem previsão de alta elevada de 7% para 13% em 2019

Já a previsão para crédito através dos recursos do FGTS passou de contração de 5% para redução de 4% neste ano

Postado em: em Economia

Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) revisou para cima suas projeções de crescimento do financiamento para a compra e a construção de imóveis no País em 2019. A expectativa da entidade para a expansão do crédito imobiliário subiu de 7% para 13% no ano, o que deve somar R$ 132 bilhões.

Por segmento, se forem considerados apenas os recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), a previsão de crescimento é ainda mais forte, e passou de 20% para 31% neste ano, atingindo R$ 75 bilhões. Já a previsão para o crédito através dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou de contração de 5% para redução de 4% neste ano.

Considerado a base para a mairoia dos empréstimos imobiliários no Brasil, o SBPE é um fundo utilizados por bancos e por instituições financeiras públicas e privadas, que capta os recursos gerados com a caderneta de poupança e os aplica em crédito imobiliário. As regras para o seu funcionamento são estipuladas pelo Banco Central e pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

“Vai faltar mão de obra para falar de financiamento imobiliário”, afirmou Gilberto Duarte Filho, presidente da Abecip, durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 25, sobre os resultados do setor no semestre. Sobre a liberação de parte do FGTS, o executivo avalia que a iniciativa não compromete a dinâmica de desembolso corrente. “A notícia é absolutamente positiva e conta com total apoio da Abecip. Para efeito prático o valor pode ser pequeno, mas fará diferença na vida de muita gente”, afirmou.

O financiamento imobiliário do SBPE à construção cresceu para R$ 8,2 bilhões, um aumento de 62,3% no primeiro semestre de 2019 ante o mesmo período do ano anterior, de acordo com os dados divulgados pela Abecip. No âmbito dos Estados, os destaques foram Rio de Janeiro e o Distrito Federal, com crescimentos de 268% e 171%, respectivamente. Em São Paulo, a expansão foi de 57% na mesma base de comparação.

Somando SBPE e FGTS, o crédito imobiliário cresceu 1% no primeiro semestre de 2019 ante igual período do ano anterior, atingindo R$ 60,6 bilhões, sendo R$ 33,7 bilhões via SBPE e R$ 26,9 bilhões via FGTS. Segundo o presidente da Abecip, o segundo semestre deve mostrar reação ainda maior. “As condições para empréstimo hoje estão muito melhores. Tomar dinheiro está mais barato do que em 2014, pico de alta histórica do setor, tanto em termos de juros como em oferta“, afirma o executivo.

Fonte: Estadão


Artigos Relacionados