Coronavírus: ministro da Saúde diz que agro está segurando economia

Em coletiva de imprensa, Luiz Henrique Mandetta disse que ‘sem alimento, não adianta fazer luta’

Postado em: em Saúde

Durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 25, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ressaltou que o Brasil não pode parar e por isso a importância dos serviços essenciais. 

Mandetta diz que é difícil neste momento determinar o que é fundamental e usou como exemplo o chaveiro, que para quem perdeu a chave de casa, passa a ser um serviço mais que primordial.

O ministro destacou também a importância do agronegócio nesta crise. “Sem alimento, não adianta a gente fazer luta. Quem está segurando a economia desse país é o agro”, afirmou.

Mandetta falou ainda que, neste sentido, o pronunciamento do presidente da república, Jair Bolsonaro, chamou atenção para a colaboração de todos neste momento.

“É preciso avaliar a situação, porque se não consigo chegar a vacina porque não tem mais o avião. Não consigo produzir o ventilador porque o funcionário não chega na firma de ventilador". 

"Isso causa uma série de transtornos para o próprio sistema de saúde, que é a única razão das nossas medidas aqui. Nós não vamos mudar um milímetro do nosso foco, que é a vida”.

“Antes de adotar o fecha tudo, existe a possibilidade de trabalhar por bairro. Fazer a redução de mobilidade urbana em determinados aparelhos. Existe uma série de medidas que vai se tomando até que você tenha um patamar”. 

Para o ministro da Saúde, é preciso estabelecer o período de isolamento social. 

“Quarentena sem prazo determinado para terminar, ela vira uma parede na frente das necessidades das pessoas, que precisam comer, abastecer suas casas, ir ao supermercado. Precisam ir e vir, porque isso faz parte da própria sobrevivência”.

O caminho neste momento é a união dos setores e dos estados. “É preciso pensar na economia. A maneira como nós vamos fazer isso será juntos. Nós vamos construir juntos”


Artigos Relacionados