Com forte calor e umidade, verão registra aumento no aparecimento de escorpiões

Espécies mais prevalentes na região Sudeste são as mais perigosas: o escorpião amarelo e o marrom

Postado em: em Saúde

Regiões de São Paulo, como a zona norte, e cidades do interior do Estado, como Franca, estão se vendo às voltas com o surgimento de escorpiões, que, nesta época do ano, de forte calor e umidade, aparecem sem ser convidados nas residências e oferecem risco à saúde dos moradores. 

Esses animais de hábitos noturnos são loucos por locais quentes e úmidos, explica a bióloga Denise Maria Candido, assistente técnica do Instituto Butantan, que atribui a frequência com que os escorpiões têm aparecido em nossas vidas ao crescimento desordenado das áreas urbanas, uma vez que, ao contrário das cobras, que preferem as áreas rurais, aqueles preferem o meio urbano.

“Nós estamos jogando a mata mais para fora da cidade, jogando para fora os predadores deles, e ainda gerando aquilo que é muito bom para eles, que é o alimento deles, que são as baratas”, diz Denise. 

Como não tem abrigo fixo, essa espécie de aracnídeo sai à noite à procura de novos lugares, que pode calhar de ser um tênis deixado no chão ou a roupa pendurada no cabideiro.

Denise revela que as espécies mais prevalentes na região Sudeste são também as mais perigosas: o escorpião amarelo e o escorpião marrom, embora ultimamente haja registro também de acidentes envolvendo o escorpião amarelo do Nordeste. Em caso de picada, a coisa certa a fazer é lavar o local afetado com água e sabão e procurar atendimento médico.

Denise alerta que nunca se deve amarrar o local, nem jogar qualquer produto sobre a picada – no máximo, recomenda-se aplicar uma compressa com água quente para aliviar a dor, que é muito forte. 

Também é aconselhável levar o animal – vivo ou morto – para o hospital, onde a vítima será tratada com soro antiescorpiônico ou soro antiaracnídico.

Os hospitais especializados nesse tipo de atendimento estão relacionados no site do Centro de Vigilância Epidemiológica. Em Franca, a Vigilância Sanitária realiza um trabalho de orientação junto à população para criar barreiras com o intuito de evitar que o escorpião chegue até à residência. 

“É preciso manter os quintais limpos e sem baratas e outros insetos que servem de alimentos para o escorpião. A espécie com maior incidência em Franca é conhecido por escorpião amarelo que tem por hábito se abrigar principalmente em caixas de esgoto. Sendo assim, temos que criar barreiras para que ele não chegue até nossas residências”, disse o chefe da Vigilância Epidemiológica, Felipe Granzotti.

Ele alerta ainda sobre a importância de vedar ralos e pias, manter a caixa de gordura bem vedada e manter limpos os quintais. "Feche as frestas embaixo das portas no período da noite. Tampe buracos e rachaduras na parede e muros. Os escorpiões se alimentam de grilos e baratas, por isso não acumule lixo para atrair esses bichos", reforça.

Além disso, os terrenos sujos podem contribuir para que os escorpiões fiquem no local e ‘invadam’ as casas vizinhas. Mas não é o principal problema já que o escorpião vive principalmente em esgoto e locais úmidos. “Temos que criar barreiras em nossas residências para que eles não consigam entrar”, disse Granzotti que completou: “Se encontrar um escorpião no quintal ou dentro de casa, em hipótese alguma deve-se colocar a mão ou tentar algum contato direto. Ligue na Vigilância Sanitária que passamos todas as orientações.”

 Apesar dos cuidados, em caso de picada é preciso procurar atendimento médico imediatamente. “Em caso de picadas o procedimento é o mesmo para qualquer pessoa. Não use remédios caseiros, não se automedique. Não passe álcool. A vítima deve ser levada imediatamente para o Pronto-Socorro, UPAS ou um hospital particular para ter o tratamento correto", orienta Felipe.

 A gravidade varia conforme local da picada e sensibilidade da vítima, portanto o médico avaliará a gravidade e tomara a decisão sobre o tratamento a ser feito.


Cuidados:

1 – Mantenha ralos tampados com telinha. Feche as frestas embaixo das portas no período da noite. Tampe buracos e rachaduras na parede e muros.

2 – Mantenha o quintal sempre limpo. Os escorpiões se alimentam de grilos e baratas, por isso não acumule lixo para atrair esses bichos.

3 – Se tiver brinquedos no quintal e casinhas de cachorro, faça sempre uma inspeção em busca de escorpião. Mantenha-os sempre limpos. Tenha o mesmo cuidado ao levar crianças para brincar em parquinhos com madeira e caixa de areia.

4 – Se for fazer limpeza no quintal e até mesmo dentro de casa (mexer em objetos com os quais não lida há muito tempo) tenha cuidado. Use luvas e sapatos fechados. Vale lembrar que o escorpião gosta de lugares úmidos.

5 – Converse com as crianças e mostre fotos para evitar que elas se aproximem no caso de encontrar um escorpião no quintal.

6 – No caso de picada, procure um hospital imediatamente para receber o devido tratamento. Não passe álcool no local da picada, apenas lave com água.

É importante observar que nem toda picada de escorpião leva à morte. Segundo a bióloga do Instituto Butantan, há três níveis de risco: fraco, moderado e grave, e a cada um deles corresponde um procedimento médico. As mortes ocorrem principalmente entre crianças e idosos.

*Com conteúdo do Jornal USP


Artigos Relacionados