Capelinha perde R$ 8 mil: golpe aplicado por falsária que dizia ser da CPFL

Paróquia perde R$ 8 mil em golpe aplicado por falsa funcionária de companhia de energia em Franca

Postado em: em Religião

Um auxiliar de escritório da igreja católica Nossa Senhora Aparecida (Capelinha) em Franca, procurou a Polícia Civil relatando ter sido vítima de um golpe.

O golpe foi aplicado por uma mulher que se passou por funcionária da CPFL nesta segunda-feira (10). 

A vítima apresentou comprovantes de depósito que somam quase R$ 8 mil.

Em depoimento à Polícia Civil, o auxiliar de escritório, de 53 anos, contou que, por volta de 11h de segunda-feira, uma mulher telefonou na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Rua Distrito Federal.

A mulher no telefone dizia que havia um débito referente à troca de um relógio de energia elétrica.

O equipamento, segundo a golpista, deveria ter sido trocado desde maio do ano passado, mas havia um boleto a ser pago no valor de R$ 5.320. 

A mulher disse ainda que, caso a dívida não fosse quitada, a paróquia poderia ficar sem eletricidade entre 15 e 20 dias.

Consta no boletim de ocorrência que a mulher informou os dados de uma conta no Banco do Brasil e o CPF do titular para que o valor fosse depositado. 

Ainda segundo relato do auxiliar, a golpista passou um telefone que seria da CPFL para ele confirmar a existência do débito.

O mesmo golpe foi tentado na Paróquia de São Benedito e na Paróquia Santa Terezinha, ambas em Franca. Mas os funcionários desconfiaram dos argumentos e não caíram na armadilha da golpista.

"(...) antes do depósito passou um número 0800 para que o declarante confirmasse os valores, o qual ligou e realmente confirmou os valores, porém, não anotou por completo o referido número", consta no registro da Polícia Civil.

Entretanto, após o depósito ser realizado, a mulher telefonou novamente à paróquia afirmando que havia uma multa a ser paga pelo atraso no serviço e, para que o relógio de energia elétrica fosse trocado, haveria a necessidade de outro depósito no valor de R$ 2.660.

O auxiliar de escritório afirmou à Polícia Civil que realizou mais um depósito no valor de R$ 2.640 e outro de R$ 20. 

No final da tarde de segunda-feira, a mulher telefonou novamente e, dessa vez, cobrou uma suposta multa referente ao ano de 2018, no valor de R$ 4,8 mil.

"(...) vindo o declarante a dizer que, pelo fato de estar no final da tarde, não seria possível fazer o depósito (...) Após desligar o telefone, o declarante passou a raciocinar e descobriu que havia caído em um golpe", consta no boletim de ocorrência.

Os comprovantes de depósito foram entregues à Polícia Civil e o caso será investigado como estelionato pelo 3º Distrito Policial de Franca.

Alerta

Em nota, a CPFL Energia informou que realiza notificações prévias de débitos vencidos, por meio de mensagem nas faturas de energia elétrica. 

A concessionária reforça que não realiza ligações telefônicas pedindo senha de acesso ao portal da empresa ou depósitos bancários.

"Para que problemas como este sejam evitados, a CPFL orienta seus clientes para que confiram o 0800 da distribuidora na sua conta de energia antes de efetuar qualquer ligação, ou acessem seus canais digitais para conferir se existe algum débito em aberto", diz o comunicado.

Também é possível entrar em contato com a CPFL pelo site na internet ou pelo aplicativo disponível gratuitamente em celulares e tablets com sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone


Artigos Relacionados