Café: chuvas aliviam lavouras e devem favorecer novas floradas

Continuidade das precipitações será essencial para o pegamento das flores e para o desenvolvimento da safra

Postado em: em Agronegócios

As chuvas ocorridas no fim de setembro em boa parte das regiões de café arábica aliviaram produtores produtores rurais que estavam aflitos com o clima. 

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), afirma que as precipitações foram volumosas especialmente na Mogiana (SP) e no sul e Cerrado mineiros.

Isso deve favorecer a abertura de novas floradas e também o pegamento das flores que já se abriram.

Com isso, o setor deve seguir acompanhando o clima no país, uma vez que a continuidade das chuvas será essencial para o pegamento das flores e para o desenvolvimento dos chumbinhos da safra 2020/2021.

Quanto ao café conilon, o clima também favoreceu as lavouras do Espírito Santo. 

As estações de São Mateus e de Linhares registraram chuvas de, respectivamente, 23,4 milímetros e 15,8 milímetros entre os dias 23 e 30 de setembro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 

As precipitações, apesar de não tão volumosas, aliviaram produtores.

Preços

Já o mercado do café na semana segue calmo devido à forte retração vendedora. 

Nesta terça-feira, 1º, o Indicador Cepea/Esalq do café tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 439,25 por saca, elevação de 1,4% em relação à terça anterior, 24. 

O Indicador Cepea/Esalq do tipo 6 peneira 13 do robusta subiu 2,2%, a R$ 298,17 por saca, na mesma comparação.


Artigos Relacionados