Aposentado de 75 anos passa no vestibular; é o novo calouro da Unesp

Como outras pessoas que querem se manter ocupadas, homem de 75 anos vai cursar letras na Unesp

Postado em: em Educação


​Nada de ficar jogando com os amigos, nem assistindo TV o dia todo. O aposentado Clóvis Ferreira, de 75 anos, passou na faculdade e é o novo calouro da Unesp – Universidade Estadual Paulista – em Rio Preto, no interior do Estado.

Clóvis passou no curso de Letras, de acordo com ele, para “ocupar a cabeça e aprender uma nova língua, o francês, além de voltar a estudar latim”.

O idoso trabalhou por 55 anos em São Paulo e se aposentou como funcionário da Caixa Econômica Federal.

“Para manter a mente ocupada, decidi voltar a estudar”, lembra.

Formado em Administração de Empresas, ele fez mestrado em contabilidade e um curso para atuar na área de tecnologia da informação.

ANIMADO

“A expectativa é grande de voltar a uma universidade, de conviver com a moçada, acho que a experiência será muito boa”, concluiu.

Morador de Mirassol, ele já sabe como vai fazer para chegar à faculdade no período noturno. O contato com estudantes mais novos não será apenas na sala de aula, mas também no ônibus para chegar ao campus da Unesp em Rio Preto.

“Acredito que não terá problemas. É importante essa convivência, de você ter alguma coisa para transmitir para outras pessoas e entender o mundo atual. Inclusive, minha escolha em letras foi porque eu gosto de ler, na minha juventude li muito", contou.

Segundo a pesquisadora de envelhecimento humano Maria Candida Soares del Masso, cursar uma faculdade traz inúmeros benefícios para idosos, inclusive no ambiente familiar.

"Muitos fazem faculdade não para exercer a profissão, mas pelo prazer de ter o diploma de ensino superior. Grande parte nunca teve oportunidade de estudar, teve que trabalhar desde cedo; outros não tinham condições financeiras, ou eram mulheres que casaram cedo", explicou.

Durante as primeiras visitas ao ambiente acadêmico, um dos locais prediletos de Clóvis foi a biblioteca. Local em que o aposentado poderá, além de desfrutar da leitura, realizar o sonho de cursar a segunda graduação.


Artigos Relacionados