Ansiedade? Já pensou em melhorar sua alimentação?!

Postado em:

​Ansiedade, sob um olhar da nutrição.

Sabia que entre 20 e 40% dos casos a ansiedade tem um fator genético determinante!? Nos outros casos, tem nome, sobrenome e endereço. Fato é, sua alimentação pode te ajudar muito. Fisiologicamente existe uma maior liberação de cortisol pelo córtex supra-renal e a resposta é transcrição de genes prejudicial, como consequência, desejo aumentado por doces, carboidratos, ou seja compulsão alimentar. Alimentos com alto índice glicêmico, carência de vitamina D, baixa ingestão de fitoquimicos, baixa ingestão de ômega-3, excesso de baterias gram negativas podem piorar ou ainda desencadear a ansiedade.

A seguir enumero algumas estratégias e alimentos-chave:


1. Faça uso diário de probióticos (bactérias gram positivas) mas não se esqueça das fibras com atividade prebiotica.
2. Controle o índice glicêmico de sua refeição escolhendo menos farinhas brancas e açúcares, acrescente mais fibras.
3. Inclua gorduras boas como óleo de abacate, óleo de gergelim...
4. Inclua boas fontes de triptofano para estimular a serotonina; nessa hora um chocolate 85% salva
5. Não coma muito carboidratos ou proteínas próximo ao horário de dormir. Ceia é refeição antioxidante
6. Inclua pelo menos 2 doses de chás antioxidantes no seu dia (aqui no meu insta tem muitas opções)
7. Não tome bebida alcoólica, seu cortisol certamente sofrerá consequências
8. Durma e acorde cedo; não tem como fugir isso. Pare de arrumar desculpas e organize-se
9. Acrescente suplementos de crocina e safranal; o crocus sativus é excelente;
10. Faça um bom lanche por volta das 17/18h00, isso pode diminuir muito aquela fome voraz à noite;
11. Coma comida de verdade e faça atividade física!
12. Procure um nutricionista para auxiliar em suas escolhas alimentares e estratégias nutricionais eficientes.


Comece a dar prioridade ao que realmente é prioridade.

*Esta coluna é semanal e atualizada às segundas-feiras.