Alta nas vendas deve provocar falta de máquinas agrícolas no país

Previsão de alta nas vendas no segundo semestre pode fazer com que agricultores fiquem sem máquinas

Postado em: em Agronegócios

Se optarem por investir em máquinas e implementos agrícolas no segundo semestre, os agricultores brasileiros correm o risco de não ter os equipamentos a pronta entrega. O alerta é de Pedro Estevão Bastos, presidente da Câmara Setorial de Máquinas da Associação Brasileira da Indústria do setor (Abimaq), uma das organizadoras da Agrishow, que começa nesta segunda-feira, 30 de abril em Ribeirão Preto.

Segundo Bastos, o motivo é o bom momento do agronegócio brasileiro. Além de o país estar colhendo a segunda maior safra de grãos da história, e com bons preços, os fabricantes tiveram aumento de vendas nas feiras anteriores à Agrishow e não conseguiriam se adaptar rapidamente a um grande volume de pedidos, caso eles se concentrem a partir do início de julho, mês em que é divulgado o Plano Safra pelo governo federal.

Bastos afirma que se chegou a especular, entre grupos de agricultores, a possibilidade de aguardar uma redução da taxa de juros, prevista pelo plano em função da queda da taxa Selic. Para ele, não é uma boa opção. “Primeiro, porque não sabemos quanto os juros vão cair, se vai ser 1%, 2%. Segundo, porque, se esperar, realmente pode faltar máquina para a safra de verão”, afirma.

A Câmara Setorial reúne 360 empresas. Em 2017, elas tiveram um aumento de 7% nas vendas em relação a 2016. Para este ano, o crescimento esperado varia entre 5% e 8%, o mesmo percentual da organização da feira. “Na verdade, estamos vendo uma recuperação do mercado, porque as vendas caíram muito em 2015. Mas, estamos bastante otimistas por causa da conjunção favorável de fatores, e a Agrishow reflete o que está acontecendo no mercado”, diz.


Artigos Relacionados