Alckmin vem a Franca conferir projeto do biometano da Sabesp

A tecnologia é fruto de uma parceria entre a Sabesp e o Instituto Fraunhofer, da Alemanha

Postado em: em Política

Em clima de despedida do governo do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin estará em Franca na próxima quinta-feira, dia cinco, em Franca, com dois compromissos na agenda.

Primeiro, o governador estará em trecho da Rodovia Fábio Talarico, onde vai inaugurar oficialmente o trecho, que já está sendo utilizado há mais de um ano pelos motoristas que fazem o trecho Franca a São José da Bela Vista e São Joaquim da Barra.​

Em seguida, Alckmin, em companhia do presidente da Sabesp, Jerson Kelman, vai visitar o projeto da companhia que transforma gás metano do esgoto em combustível para veículos da frota da Sabesp, economizando combustível e preservando o meio ambiente.

A tecnologia é fruto de uma parceria entre a Sabesp e o Instituto Fraunhofer, da Alemanha. No processo, o biogás gerado no tratamento do esgoto passa por um sistema de remoção das impurezas, umidade e aumento da concentração de metano. 

O resultado é um combustível, o biometano, que será usado no lugar na gasolina, do álcool e do GNV (gás natural veicular).

É a primeira vez no Brasil que o gás gerado no processo de tratamento do esgoto é transformado em combustível para veículos com essa tecnologia.

Como a ETE de Franca possui vazão de tratamento de esgoto de 450 litros por segundo e produz em torno de 2.600 Nm³ de biogás, estima-se que possam ser produzidos 1.700 Nm³ de biometano por dia, o suficiente para substituir 1.700 litros de gasolina comum a cada dia. 

A parceria faz parte dos investimentos da Sabesp em pesquisa científica e inovação.

Esse combustível alternativo será testado, com acompanhamento dos órgãos reguladores competentes, nos 49 veículos da companhia em Franca, que serão adaptados. 

Ele tem ainda outra vantagem: é renovável, já que sua base é o esgoto produzido pelos moradores, comércio e indústria de Franca.

Segundo estimativa da organização ambiental World Resources Institute, cada litro de gasolina emitiria cerca de 2,28 kg de CO2. 

Com a experiência, anualmente haverá a redução de aproximadamente 1,5 milhão de toneladas de dióxido de carbono com o reaproveitamento do gás.

O valor total do projeto é de R$ 7,3 milhões. Cabe ao Instituto Fraunhofer a doação de equipamentos para a Sabesp e a prestação de assistência técnica, além do acompanhamento das fases de pesquisa. 

A contrapartida da Sabesp será a realização de obras para a instalação do equipamento, da linha de biogás e de sistema elétrico e adaptação dos veículos para o biometano, entre outros itens.


Artigos Relacionados