7 mil médicos de hospitais privados vão ajudar o SUS com telemedicina

Projeto também vai capacitar médicos e enfermeiros de mais de 500 Unidades de Pronto Atendimento no Brasil.

Postado em: em Saúde

Um conjunto de hospitais privados mobiliza mais de 7 mil profissionais para auxiliar cerca de 3 mil instituições do SUS na epidemia de coronavírus por meio da telemedicina e de outros recursos estratégicos.

A partir deste mês, o Hospital Albert Einstein e o Hospital do Coração vão realizar televisitas em mais de 600 leitos de UTI escolhidos pelo SUS.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Eduardo Cordioli, gerente médico de telemedicina do Einstein, ressalta a importância da atuação de um médico intensivista, mesmo à distância.

A experiência do profissional pode reduzir o tempo de tratamento do paciente e aumentar o giro dos leitos, permitindo a abertura de novas vagas no sistema de saúde.

O projeto também vai capacitar médicos e enfermeiros de mais de 500 Unidades de Pronto Atendimento em todo o Brasil.

Já a iniciativa "Lean nas Emergências", existente em cerca de 100 hospitais do SUS, vai ser ampliada. 

Além do objetivo de reduzir o problema de superlotação e o tempo de espera nas emergências, gabinetes de crise vão ser criados para gerenciar o estoque de Equipamentos de Proteção Individual e medicamentos.


Artigos Relacionados