Evite golpes pela internet. Saiba o que é phishing e não tenha senha tão trivial

O Brasil é um dos países que mais sofrem ataques phishing no mundo. Saiba como se proteger

Postado em: em Tecnologia

As pessoas, em geral, têm dificuldade na criação de senhas eficazes, de acordo com a SplashData, fornecedora global de software de segurança. 

Em sua pesquisa das piores senhas de 2017, quase 10% das pessoas – a maioria da Europa ocidental e da América do Norte – ainda usam sequência como “123456”.

Isso facilita que pessoas mal intencionadas acessem seus dados e roubem suas informações. Além disso, outra técnica maliciosa muito perigosa é o phishing. Saiba mais sobre ele e como se proteger!

Phishing

Alguns furtos mais comuns acontecem quando o ladrão se aproveita da emoção da vítima. O phishing nada mais é do que a tentativa eletrônica de ter acesso a informações sigilosas fingindo-se de fonte confiável.

Por exemplo, Sean Sullivan, assessor da empresa de cibersegurança Fsecure, de Helsinque, recebeu um e-mail que fingia ser da Amazon. 

A mensagem dizia que precisavam de mais informações para entregar a mercadoria que ele esperava. A mensagem lhe pedia que enviasse os detalhes de sua conta na empresa.

“Minha mão avançou para digitar as informações quando meu cérebro disse: ‘É falso!’”, conta ele. Os golpistas enviam um número imenso de e-mails, e alguns que o recebem podem estar mesmo esperando um pacote da Amazon. 

O golpe é simples e fácil de acreditar. O phishing também pode ser feito por telefone, quando é chamado de vishing.

Toda vez que alguém apelar às suas emoções e pedir dados pessoais, pense duas vezes. 

Cuidado com qualquer comunicação que provoque sentimentos de preocupação – como um telefonema dizendo que seu cartão de banco foi roubado e pedindo sua senha – ou frustração, como no caso de Sean Sullivan. 

Não se emocione, porque é aí que caímos na armadilha”, diz ele. Se alguém ligar para você, diga que telefonará de volta–e procure na internet o número verdadeiro da instituição. 

Enquanto isso, diz ele, você pode criar e-mails separados em serviços como o gmail para tarefas específicas, como as operações bancárias, e só dar esse endereço a instituições financeiras de confiança. 

Dessa forma, se receber uma mensagem sobre sua conta bancária na caixa de entrada comum, você saberá que é falsa.

Medidas de segurança que você pode adotar

  • Não use detalhes óbvios como sua data de nascimento ou seu sobrenome em senhas;
  • Use senhas diferentes para cada conta. Você pode usar um gerenciador de senhas, um programa que gera e armazena códigos complexos para que possa acessá-los num único lugar seguro em seu disco rígido ou num serviço de hospedagem de arquivos;
  • Use VPN.

Usar Wi-Fi pública sem segurança torna muitas de suas transações visíveis por quem estiver ao redor.

“A Wi-Fi pública é utilíssima”, diz Sullivan. “Mas eu recomendaria enfaticamente o uso de uma VPN”, acrescenta, referindo-se a programas como Tunnel-Bear ou Freedome, por exemplo, que criam uma rede privada virtual de uso seguro.

Também proteja com senha sua rede Wi-Fi doméstica e não permita que as senhas sejam autocompletadas em seu tablet, notebook ou celular, porque, embora seja prático, quem furtar seu aparelho terá acesso a todas as suas informações.

Barbara Hubner acrescenta: “Todo usuário da internet pode ser vítima de furto de identidade.”

E deve proteger seus dados e desconfiar quando lhe pedem informações pessoais. 

“Ao mesmo tempo, os prestadores de serviços deveriam ser obrigados a garantir a segurança dos dados dos clientes e a adotar mecanismos adequados de autenticação”, disse ela.


Artigos Relacionados