Unesp integra projeto para melhorar convivência em escolas de São Paulo

Programa de melhoria da convivência é desenhado por pesquisadores do câmpus de Araraquara

Postado em: em Educação

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (GEPEM) da Unesp em Araraquara foi responsável pelo desenho do recém-lançado Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar, que integra as iniciativas do programa Conviva SP, do governo estadual paulista, que foi lançado oficialmente no último dia 21 de outubro.

O evento de lançamento realizado no Palácio dos Bandeirantes teve a participação do secretário executivo Haroldo Corrêa Rocha e da gestora do projeto Michele Gervasio Nepomuceno, além de especialistas da área educacional.

A professora Luciene Tognetta, da Unesp em Araraquara e líder do GEPEM, fez uma apresentação abordando o papel da melhoria da convivência para a redução da violência nas escolas estaduais paulistas (veja abaixo a fala da docente da Unesp).

O projeto elaborado pelos pesquisadores do GEPEM é sustentado por pesquisas desenvolvidas pelo grupo de Araraquara e está construído em torno de quatro bases: a formação de professores, a instrumentalização e formação da rede protetiva, a estruturação dos espaços de diálogo na escola com o funcionamento das assembleias escolares e as ações de protagonismo infanto-juvenil. 

Desde os fatos ocorridos em Suzano, o GEPEM vem atuando em parceria com outras universidades como Unicamp, Unifesp e USP. A expectativa é que o Conviva SP como um todo dê corpo para que as ações de melhoria da qualidade do clima relacional nas escolas paulistas cheguem até os alunos.

01convivasp.jpg
Evento de lançamento do programa Conviva SP (Crédito: Secretaria de Estado da Educação)

Entre outras ações, o Conviva SP visa identificar a vulnerabilidade de cada unidade escolar para a implementação do Método de Melhoria de Convivência Escolar (MMCE). O argumento é que a garantia de um ambiente harmônico na escola colabore com a elevação dos índices de aprendizagem.

A identificação da vulnerabilidade escolar será identificada por meio de um questionário online a ser aplicado em novembro e que deverá ser respondido por professores, alunos e diretores a rede estadual.

O Conviva SP também prevê a criação de uma plataforma para integrar o histórico de ocorrências da rede estadual de ensino. As escolas devem registrar todas as ocorrências via sistema. Com isso, a Seduc espera que aumente o número de notificações no ambiente escolar, já que haverá um controle maior.


Artigos Relacionados