Santa Casa volta a pedir ajuda após elevada ocupação em leitos de UTI

Hospital solicitou R$ 1,4 milhão à Prefeitura e 79 equipamentos ao estado para abertura de 10 leitos

Postado em: em Cidades

Santa Casa de Franca atende as 22 cidades da DRS-8

A Santa Casa de Franca, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) das 22 cidades do Departamento Regional de Saúde 8, voltou a pedir ajuda ao Governo do Estado e à administração municipal para ampliação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19. As informações são da EPTV/Portal G1.

Até a noite de terça-feira (11), de acordo com o boletim epidemiológico da Prefeitura de Franca, o hospital operava com 96,2% de ocupação nas 27 vagas disponíveis. Apenas um leito estava vago na unidade. Um novo boletim deve ser divulgado até o fim desta quarta-feira (12).

A expectativa dos gestores da Santa Casa é de que, em um mês, dez novos leitos sejam instalados no município, passando para 37 o total de espaços disponíveis para o enfrentamento da pandemia.

Entretanto, para isso acontecer, seria necessário um novo repasse de R$ 1.440.000,00 da administração municipal, mesmo valor já solicitado e recebido no final de julho, além da instalação de equipamentos solicitados em ofício à Secretaria de Estado da Saúde.

Em nota, o governo paulista informou que o Departamento Regional de Saúde de Franca (DRS 8) está em diálogo com a Santa Casa e analisa o pedido.

A pasta reforçou que o hospital já recebeu 20 respiradores anteriormente e isso possibilitou a ativação de novos leitos, chegando aos 27 do quadro atual.

Em maio, o hospital já havia feito um pedido ao estado na ordem de R$ 1 milhão para a abertura de leitos de UTI e enfermaria.

Ocupação máxima

Levantamento do G1, com base em dados da Secretaria Municipal de Saúde até terça-feira, aponta que Santa Casa de Franca operou com lotação máxima em cinco dos 11 dias de agosto.

O hospital começou o mês com 22 vagas disponíveis para pacientes em estado grave com a Covid-19 e, no dia 6, aumentou cinco leitos, indo para 27.

No entanto, no período analisado pela reportagem, em apenas duas oportunidades a unidade contou com mais de um espaço vago para internação.

O hospital atingiu 100% de ocupação em leitos de UTI para Covid-19 no início de julho pela primeira vez. A taxa permaneceu alta durante as semanas seguintes e a Justiça proibiu a Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (Cross), do estado, de enviar pacientes com suspeita ou diagnosticados com a doença para internação na unidade.

Para desafogar o hospital, em ofício foi enviado na segunda-feira (10) à pasta estadual de Saúde, a Santa Casa pediu apoio para a compra de 79 equipamentos que vão auxiliar na abertura de dez novos leitos. 

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura na noite de terça-feira, Franca tem 2.129 diagnósticos positivos do novo coronavírus e 50 óbitos causados por complicações da doença.

Em visita ao município no início de agosto, o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, prometeu implantar 35 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em cinco cidades da região: Ipuã (SP), Ituverava (SP), Igarapava (SP), Morro Agudo (SP) e São Joaquim da Barra (SP).

Com a abertura das vagas prometidas pelo governo paulista, o DRS 8 pode avançar apara fases mais flexíveis do Plano São Paulo, já que a região apresentou a pior taxa de ocupação em leitos de UTI do estado na sexta-feira (7).

Por causa do alto índice de ocupação em leitos de UTI, a regional está na fase vermelha de retomada econômica desde junho. É a etapa mais restritiva da quarentena do estado e que permite somente o funcionamento de atividades consideradas essenciais.

No fim de julho, a Prefeitura de Franca informou que fez um repasse de R$ 1,4 milhão à Santa Casa para o custeio de dez novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento de pacientes com Covid-19. O dinheiro deverá manter as unidades em funcionamento por três meses.


Artigos Relacionados