Saiba quais doenças que humanos e animais de estimação têm em comum

O seu gato está nervoso e perdendo peso gradual apesar de comer muito? A alteração pode ser na tireoide

Postado em: em Mais+

E​xistem várias patologias comuns entre os humanos e os animais de estimação, tais como a diabetes ou a epilepsia. 

Nesse sentido, a BBC divulgou um artigo que aborda a fundo esta relação inesperada.

1. Diabetes

De acordo com o professor de medicina da Faculdade Real de Veterinária (RVC) Stijn Niessen, o número de casos de diabetes em humanos está aumentando, assim como entre os gatos.

Estima-se que um em cada 200 gatos sofra de diabetes do tipo 2, um crescimento significativamente tendo em conta apenas três décadas atrás, altura em que ocorria um caso de diabetes por cada 900 gatos.

"Os gatos foram feitos para caçar, mas agora ficam muito tempo sentados sem fazer exercício em apartamentos e são alimentados com frequência, um gesto de amor muitas vezes errado", alerta Niessen.

Contudo, o veterinário aponta que muitos gatos mais gordos não sofrem de diabetes. Sendo que tal como nos humanos, em determinadas situações pode ter mais a ver com a herança genética do que com o estilo de vida.

Relativamente aos cães, estima-se que cerca de três em cada mil tem diabetes.

Em ambos os animais – gatos e cães – os sintomas tendem manifestar-se através de sede constante, urinar com frequência e perda de peso inexplicável.

O tratamento pode incluir injeções de insulina. Algumas pesquisas apontam que a diabetes nos gatos pode entrar em remissão, quando estes perdem algum peso. 

2. Problemas de tiroide

Felinos hiperativos, que perdem peso apesar de comer muito podem estar sofrendo de hipertireoidismo. Uma forma de tratar uma tiroide superativa é dar uma injeção de iodo radioativo no gato.

Assim como nos humanos, a condição ocorre quando a glândula da tiróide, no pescoço, produz hormônios em excesso.

Por outro lado, os cães apresentam uma maior tendência para sofrerem da condição contrária. Em média um em cada mil cães têm tiróides pouco ativas.

Os donos podem ficar atentos a alguns sinais comuns aos humanos com hipotireoidismo - aumento de peso, preguiça e lentidão. 

Como tratamento, igual aos seres humanos, uma terapia de substituição do hormônio da tiróide pode atenuar o problema.

3. Cães que tomam Viagra

Cães com problemas respiratórios ou que desmaiam de repente e com frequência podem ter de tomar Viagra. Fármaco que é extremamente popular por ajudar a tratar homens que sofrem de disfunção erétil.

Os veterinários estão administrando Viagra a cães para tratar hipertensão pulmonar, também conhecida por pressão alta nos pulmões.

Todavia, as drogas são formuladas e licenciadas separadamente para humanos e animais.

4. Epilepsia

De acordo com o professor Holger Volk, em declarações à BBC, cerca de um em cada 100 cães sofre desta doença degenerativa do cérebro.

E apesar de ser menos corriqueiro, os gatos também podem desenvolver epilepsia. A doença pode provocar convulsões, porém nem sempre os sintomas são assim tão perceptíveis.

Os gatos e os cães podem ser tratados com pílulas antiepilépticas, contudo estes fármacos não funcionam em todos os bichos.

Até ao momento, as pesquisas realizadas por Volk indicam que o consumo de uma dieta rica em ácidos gordos pode ajudar. Atualmente está sendo realizados testes mais amplos para confirmar esses resultados.


Artigos Relacionados