Saca de café é cotada a R$ 470 em Franca, com alta de 1,08%

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca com saca a R$ 470,00 e alta de 1,08%

Postado em: em Agronegócios

Os negócios com café registraram aquecimento nos últimos dias, mas neste início de semana já voltaram ao ritmo mais lento.

"Além dessas altas na ICE, a desvalorização do real frente ao dólar acelerou nesta semana levando o mercado físico brasileiro de café a movimentar-se, com os preços em reais subindo e incentivando o fechamento de um volume mais significativo de negócios", disse em informativo o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 493,00 e queda de 1,40%. 

A maior oscilação dentre as praças no dia ocorreu em Varginha (MG) com recuo de 2,08% e saca a R$ 470,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca com saca cotada a R$ 470,00 e alta de 1,08%. 

A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Varginha (MG) com recuo de 2,15% e saca a R$ 455,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Araguari (MG) (estável), Franca (SP) (+1,10%) e Guaxupé (MG) (-1,50%), ambas com saca a R$ 460,00. 

A maior oscilação ocorreu em Lajinha (MG) com queda de 2,35% e saca R$ 415,00.

Na sexta-feira (04), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 451,15 e queda de 0,62%.


Artigos Relacionados