Prédios do Nadeide, da Amafem e do Ciretran seguem abandonados

Prefeito Gilson de Souza ignora projetos para creche e acolhimento de dependentes químicos

Postado em: em Política

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Franca, o vereador Kaká (PSDB) voltou a levantar um preocupante problema para a administração municipal.

O parlamentar relembrou que o prédio da escola “Nadeide Scarabucci” continua sem utilização pelo poder público, sofrendo constantes invasões, depredações e com o vandalismo.

Kaká disse que apresentou um projeto para utilização do prédio como uma creche, com capacidade de atender mais de 220 crianças da Vila São Sebastião e bairros adjacentes, na região oeste.

“Naquela ocasião, fui informado que não seria possível atender a minha sugestão e que já havia outros planos em estudo para aquele espaço”, disse o vereador.

Conjuntamente a este caso, Kaká sugeriu também a instalação de uma creche em outro prédio sem uso, na Vila Nova, onde funcionou por muitos anos a Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de Franca.

A localização do prédio para creche, segundo Kaká, é estratégica, uma vez que é caminho para o Distrito Industrial, onde milhares de pessoas trabalham.

“Nossa intenção é que todos os prédios públicos sejam utilizados com projetos que beneficiem os francanos. E não são somente esses, tem ainda o local onde funcionava a AMAFEM, que cuidava de mulheres portadoras de dependência química, e que também está desativado”. concluiu o parlamentar.

O vereador apresentou projeto para que outra entidade continuasse o trabalho, mas não houve interesse do Poder Executivo, segundo Kaká.

“Vejo que a causa é tão relevante que os vereadores Nirley de Souza (PP) e Ilton Ferreira (DEM), da base do governo na Câmara, já se manifestaram sobre o tema e acredito que, unindo forças entre os vereadores e o Poder Executivo, soluções vão ser apresentadas”, afirmou Kaká.

Artigos Relacionados