Pode esperar: com a volta às aulas preço do material escolar deve aumentar

Confira algumas dicas para gastar menos dinheiro na compra do material escolar nesta volta às aulas

Postado em: em Economia

O ano começou e já é hora de comprar o material escolar dos pequenos (ou dos grandes). Neste período, os pais tentam economizar no valor que desembolsam nas compras.  

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE), nesta volta às aulas, os itens devem estar, em média, 8% mais caros do que em 2019.

O dinheiro desembolsado na compra do materiais, no entanto, pode ser muito menor se algumas práticas para economizar forem adotadas. A pesquisa de preços, por exemplo, pode ser otimizada com o uso de ferramentas online.

Confira essas e outras dicas para economizar na compra do material escolar:

Reaproveitar

Nem todos os materiais requisitados pela lista da escola precisam ser novos. Soluções criativas podem resolver o problema da repetição da imagem da capa. Entre elas, a aplicação de adesivos, papéis estampados ou mesmo a colagem de tecidos.

Entrar em contato com pais de alunos de outros anos, para combinar trocas ou mesmo doações, também pode ser promissor.

Essa dica vale especialmente para livros, que costumam ser adotados por vários anos antes da escola mudar a edição utilizada.

Comprar materiais usados – inclusive online

Comprar agendas, estojos, mochilas e outros itens de segunda mão pode ser uma excelente opção para quem deseja economizar. 

Essa prática pode ser feita tanto em lojas físicas – como brechós e sebos – quanto em sites especializados em itens usados.

Uma alternativa é o site Estante Virtual, uma rede integrada de 2200 sebos e pequenas livrarias de todo o país. Na página, é possível encontrar produtos a partir de R$ 3,00.

Já o site Enjoei disponibiliza o contato direto com pessoas que estão se desfazendo de objetos. Entre eles, encontram-se estojos e mochilas. O site também possui um aplicativo disponível para download para Android e IOS.

Pesquisar – com todas as ferramentas disponíveis

Que a pesquisa é a melhor maneira de economizar, não é nenhuma novidade. Vale lembrar, porém, que existem ferramentas na internet que facilitam o trabalho de busca.

No Google Shopping, por exemplo, é possível fazer buscas por categorias ou produtos específicos. 

A ferramenta permite ainda filtrar as opções por faixa de preços ou por data de lançamento. Bondfaro, Buscapé e Zoom também são outras páginas que auxiliam as pesquisas.

Utilizar cupons de desconto e estar atento a promoções

Os cupons de desconto fazem parte do rol de vantagens de fazer de comprar pela internet. Materiais escolares podem sair entre 10% e 20% mais baratos utilizando os códigos promocionais. 

O site Cuponomia reúne cashback e cupons de desconto em lojas como Submarino, Amazon, Americanas.com, Saraiva, Kalunga e Walmart.

O portal possui uma aba somente para artigos de volta às aulas, confira clicando no link.

Os sites dessas lojas, aliás, são alguns dos que costumam criar seções específicas para a venda de materiais, que podem ser encontrados com opções de parcelamento em até 12 vezes sem juros.

Comprar com antecedência

Com a aproximação da volta às aulas, as papelarias, livrarias e lojas online costumam subir os preços do material escolar. 

E, quanto mais perto da data de retorno das atividades das escolas, a tendência é que os produtos com melhor custo-benefício se esgotem. Assim, quem se programa consegue garantir que os materiais de menor valor ainda estejam em estoque.

Caso não possua dinheiro suficiente para comprar toda a lista com antecedência, escolha alguns itens de maior valor para adquirir primeiro, deixando os que costumam ser mais baratos para depois.


Artigos Relacionados