Penitenciária e Casa são "presentes de grego", mas francano paga servidores

De oito funcionários cedidos pela Prefeitura a outros órgãos seis foram para unidades prisionais

Postado em: em Segurança

Não bastassem terem sido verdadeiros "presentes de grego" dados pelo Governador Geraldo Alckmin a Franca (aliás, aceitos sem nenhum pio de protesto por parte das "lideranças políticas e empresariais da cidade) o ex-CDP (Centro de Detenção Provisória), hoje Penitenciária e a unidade da Fundação Casa, geram gastos à população francana que vão além dos impostos estaduais que todos pagam. 

Ocorre que, embora seu funcionamento seja de responsabilidade do Estado, não havendo nenhuma obrigação por parte do Município, as unidades têm recebido (assim como outros órgãos estaduais e federais) da Prefeitura a cessão de servidores municipais para atuarem em suas áreas profissionais específica. 

Na atualidade a Prefeitura tem funcionários pagos pela Folha de Servidores do Município, na Penitenciária de Franca (ex-CDP) que são Enfermeira, Auxiliar de Enfermagem, Médico Emergencialista e Clínico Geral, Cirurgião Dentista, Médico Ginecologista, e Médico Clínico Geral (este último para a Fundação Casa). 

A cessão destes funcionários tem sido renovada anualmente ao longo das décadas pelos prefeitos municipais e em relação ao atual (Gilson de Souza) isto não tem sido diferente. 

As últimas oito cessões da Prefeitura para os órgãos estaduais foram feitas através de uma Portaria assinada pelo Prefeito no último dia 07 de junho (além da Penitenciária outros dois funcionários constam da lista, designados para o Ministério Público Estadual (assistente social) e Faculdade de Direito (escrituraria). 

O que está em discussão não é o relevante e necessário serviço prestado pelos servidores da Prefeitura em [órgãos estaduais.

O que precisa ser discutido, inclusive pelos "Nobres" vereadores de Franca é a assunção, por parte da Prefeitura, custeada por impostos pagos pelos francanos, de responsabilidades do Estado para manter em funcionamento suas unidades de serviço na cidade. 

Afinal, para cumprir esta  e outras obrigações para com a cidade o Estado também recebe impostos (e não são poucos) pagos pelos francanos. 



Artigos Relacionados