Páscoa: Paróquias de Franca farão a partir de terça-feira, 26, mutirão de confissões

“Confissões da Quaresma 2019” fazem parte da preparação para o ápice da tradição cristã, celebrada na Páscoa

Postado em: em Religião

Diversas igrejas e paróquias de Franca e cidades vizinhas que integram a Diocese de Franca, realizarão um mutirão para atender as confissões dos fiéis como preparação para o ápice da tradição cristã, celebrada na Páscoa.

Denominados como “Confissões da Quaresma 2019”, os atendimentos terão início na próxima terça-feira, 26 de março, na Paróquia São Sebastião, a partir das 19h30.No dia seguinte, também às 19h30, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Restinga, abre suas portas para as “Confissões da Quaresma”.

As confissões voltam a ser recebidas no dia 2 de abril, desta vez, na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Franca, às 19h30. No dia seguinte, dia 3 de abril, os atendimentos ocorrem na Paróquia Santo Antônio, no mesmo horário.

Já no dia 4 de abril, é a Paróquia Santa Luzia que recebe os fiéis.

As “Confissões da Quaresma 2019” voltam a ocorrer nos dias 9 e 10 de abril, às 19h30, na Paróquia Menino Jesus de Praga e na Sé Catedral Imaculada da Conceição, em Franca, respectivamente.

Os ritos religiosos

A confissão é uma forma de purificação da alma e preparação para a celebração da Paixão de Cristo.

Apesar de o sacramento poder ser praticado durante todo o ano, a procura é maior durante a quaresma e se intensifica durante a Semana Santa. A tradição da igreja recomenda que a confissão seja feita ao menos uma vez ao ano.

A Semana Santa marca o fim do período da quaresma em que, segundo a tradição cristã, Jesus passou 40 dias no deserto antes de sua morte e ressurreição, no domingo de Páscoa. A Igreja católica segue os passos de Jesus durante a quaresma, marcada pelo domingo anterior à Páscoa, que remete ao episódio da bíblia que conta quando o povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Durante esse período, os cristãos realizam penitências, orações e evitam comer carne vermelha, por exemplo, durante a Sexta-feira Santa, marcada pelo sacrifício e morte de Jesus.


Artigos Relacionados