Para 76% das micro e pequenas indústrias do estado, crise ainda é forte

7 em cada 10 dirigentes das micro e pequenas indústrias afirmam que a crise segue afetando os negócios

Postado em: em Economia

A 65ª rodada do Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo, encomendado pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) ao Datafolha, aponta que em julho a expectativa das empresas sobre a retomada do crescimento da economia atingiu o pior resultado da série histórica. 76% das Micro e Pequenas Indústrias (MPI's) confirmam que a crise ainda é forte e segue afetando os negócios, sem previsão de retomada do crescimento econômico. O resultado, em alta desde fevereiro de 2018 com 53%, configura o pior número desde o início da consulta, em abril de 2017.

Em franca queda, o otimismo com a economia brasileira despencou de 41% em janeiro deste ano para 19% em julho, o pior resultado desde março de 2016. Para mais da metade dos empresários (51%), a expectativa é de que a economia "vai ficar como está", e para quase 1/3 dos empresários (27%), a economia brasileira irá piorar.

Segundo o presidente do Simpi, Joseph Couri, a expectativa otimista com a economia está cada vez mais distante. "Desde o começo do ano estamos vivendo o aumento do pessimismo entre os empresários e a expectativa para os próximos meses é ainda de instabilidade.".

Cheque especial

Em julho, a porcentagem dosempresários que buscaram cheque especial para ter acesso à capital de giro foi de 20%; o aumento de julho em comparação ao mês de junho (13%) representa a maior alta desde fevereiro de 2017, quando 21% dos dirigentes optaram pelo cheque especial para o acesso à capital de giro.

Além do cheque especial, os empresários também buscaram o empréstimo pessoal e a linha de crédito para pessoa jurídica. O empréstimo pessoal saltou de 2% em junho para 9% em julho; já a linha de crédito para pessoa jurídica – menor taxa de juro entre as três modalidades de crédito - foi de 3% em junho para 8% em julho: percentual ainda insuficiente. Confira os dados no gráfico a seguir:

Maioria dos empresários recorre ao cheque especial como forma de acesso à capital de giro

A Pesquisa

O Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo, encomendado pelo Simpi e efetuada pelo Datafolha, é reconhecido como sinalizador de tendência. É importante salientar que 42% das MPIs de todo Brasil estão em São Paulo.

A íntegra das 65 pesquisas Simpi/Datafolha, desde março de 2013, está disponível no site da entidade (http://www.simpi.org.br).


Artigos Relacionados