Nutrólogo joga por terra diversas superstições sobre alimentação

A alimentação envolve mesmo muitos mitos e crendices e professor afirma: todo alimento é bom alimento

Postado em: em nutrição

O ser humano é o único animal adulto que toma leite. O café da manhã é a principal refeição do dia. Manga com leite faz mal. Carboidrato à noite não pode, comer e dormir também não. Cerveja cria barriga. Limão irrita o estômago. A lista não para por aqui. A alimentação envolve mesmo muitos mitos e crendices.

Ninguém melhor do que o nutrólogo Enio Cardillo Vieira, professor-doutor e professor emérito do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), para jogar por terra todas as superstições e informações erradas a respeito do pão nosso de cada dia que circulam por aí. “Tudo precisa de base científica. Somos sujeitos a modismos e queremos ser enganados. Daí surgem os alimentos mágicos.”

Convidado a palestrar no seminário “Mitos e crendices em nutrição”, em comemoração aos 50 anos da pós-graduação em bioquímica e imunologia e também do ICB, professor Enio, de 85 anos, com cinco décadas dedicando-se ativamente à área de saúde, reforça que “todo alimento é bom alimento. Depende para o quê. “Estive em Campo Grande e a chia está em alta, na moda. A venda a granel custava R$ 65 o quilo. Um absurdo, enquanto temos outros cereais e leguminosas que oferecem os mesmos benefícios”. Ele ensina ainda que “um trabalhador cortador de cana, com gasto energético de quatro mil calorias, vai precisar de açúcar, sim. E até de cachaça! Logo, o açúcar não é o vilão que propagam”.

O problema dos mitos, crendices e modismos é que se alastram como pólvora. Errados, eles são prejudiciais, muitos tomam como verdade e saem repetindo por aí, enviando mensagens via WhatsApp, até como corrente.

A boa alimentação deve ser fonte de proteína, gordura, carboidratos, fibra, vitaminas e sais minerais. Enio Cardillo enfatiza que “a obesidade é uma das doenças mais sujeitas a tabus e, para piorar, dietas da moda. Agora é a vez do low carb, não podemos falar baixa em carboidrato, tem de ser em inglês. Nos anos 1960, era a dieta de Atkin, com redução drástica de carboidratos da alimentação e aumento da proteína. Vejam a pirâmide alimentar, a Organização Mundial da Saúde (OMS) insiste para consumirmos menos alimento de origem animal, para não abusarmos”.

Por isso, o professor pergunta: “Se carboidrato engorda, por que nos países asiáticos, onde o consumo de arroz - alimento rico em carboidrato - é alto, a incidência de obesidade é muito baixa? A verdade é que a caloria engorda independentemente da origem”. O que todos devem, sim, é praticar atividade física: “E o melhor dia para começar o exercício foi ontem!”.

Outra febre na alimentação é a onda da gordura de porco. A banha ganhou holofotes. O professor ensina que é a que tem mais ácido graxo saturado e eleva o colesterol. “Alguém está ganhando com isso. Tenham cuidado com os modismos.” O mesmo raciocínio leva Enio Cardillo a chamar a atenção para a guerra a favor e contra a manteiga e a margarina ou entre adoçante e açúcar: “Quando acharem no Google alguém falando mal do açúcar, é do time do adoçante, e vice-versa. A mesma coisa em relação à manteiga e à margarina”.

E a história de que o café da manhã é a principal refeição do dia? “O homem primitivo comia quando achava alimento. O horário da refeição é cultural. O café da manhã no Brasil não é igual ao da Suécia. E quem diz que temos de comer porque estamos em jejum há oito horas? Outro erro, já que a nossa reserva de glicogênio (armazém de glicose) dura cerca de 18 horas. Mais mito, se não comer pela manhã a pessoa se predispõe à obesidade porque vai abusar no almoço. Para o público leigo, o café da manhã é a refeição mais importante do dia. Naturalmente, isso é verdade se você está vendendo cereais matinais.”

Comer e dormir

Mineiro, de Areado, no Sul de Minas, Enio Cardillo é referência quando se trata de alimentação e nutrição. Por isso, com todo o know how, lhe falta paciência com “verdades” que são na realidade tolices. Ainda que concorde, há até mesmo profissionais da saúde contribuindo para a disseminação de informações falsas: “Não comer carboidrato à noite é outra invenção. Queda de cabelo somente em caso de fome extrema. Comer e dormir não pode. Um outro absurdo. Todo animal come e dorme. Alguém vai avisar à dona onça que não é saudável comer e dormir? Além de tudo, é fisiológico. O estômago secreta o ácido e o sangue fica alcalino, a alcalose dá sonolência. O que fazem os espanhóis? A sesta. Comer antes de dormir não é aconselhado para pessoas que sofrem de refluxo gastroesofageano”.

Os absurdos com que o professor Enio tem de lidar por aí e também em seu consultório têm lista extensa: “Limão irrita o estômago? Como assim? Não tem nada mais ácido para o estômago do que o próprio ácido que ele fabrica. Limão deve ser evitado por pessoas que têm intolerância a ele. Cerveja cria barriga. É preciso saber se o tira-gosto de quem entra no boteco às 21h e sai às 2h é pepino e tomate. Tem de saber o comportamento do cervejeiro. Quem diz que o azeite satura quando aquecido não sabe o que é saturar. Para saturar um óleo é preciso submetê-lo a uma atmosfera de hidrogênio, sob pressão, usando níquel como catalisador. Temos isso na panela da cozinha? O que ocorre quando o óleo - ou qualquer gordura - é superaquecido é a formação de uma substância cancerígena com odor irritante, que é a acroleína. No entanto, para todo mito há uma origem. A recomendação é fritar a batata em um óleo e não usa-lo de novo para o mesmo fim, mas para refogar arroz, feijão ou hortaliças”.

E o glúten? “Faz mal para quem tem doença celíaca – uma doença autoimune – que se caracteriza por diarreias violentas. O glúten é que faz o pão crescer. O pão de centeio, por exemplo, é muito duro. Quando se acrescenta o trigo, o pão fica mais macio.”

E o antigo leite com manga? Onde está o perigo? “Não tem nenhum fundamento. Foi criado para que os escravos que tomassem leite não pegassem frutas.” Misturar bebida embriaga? “O álcool não se multiplica em nosso corpo. Cachaça mais cerveja se adicionam, mas o álcool não se multiplica.”

Leite

Claro, o leite não ficaria de fora do seminário do professor Enio Cardillo. Ele fica perplexo quando as pessoas saem repetindo por aí: “O homem é o único animal adulto que toma leite”. Ele frisa: “O leite e as frutas são os únicos desenhados para ser alimentos. Os outros animais não consomem leite porque não têm acesso a ele. Se dermos leite para um gato, ele bebe. Cão come queijo. O leite é um alimento dos mais equilibrados, seja em proteína, gorduras, água, carboidratos, sais minerais e vitaminas”. Enio Cardilho encerra o assunto, que nunca chega ao fim, já que novas crendices virão por aí, com um fato histórico: "A medicina é uma ciência de verdades transitórias".


Artigos Relacionados