Nova Delegacia de Defesa da Mulher de Franca será inaugurada no dia 26

Unidade contará com Centro de Referência da Mulher de Franca, que oferecerá cursos profissionalizantes

Postado em: em Cotidiano

A líder do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Helena Trajano, cuidou pessoalmente do projeto da nova DDM de Franca (Foto: Reprodução)

A nova Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher de Franca (DDM) será inaugurada no próximo dia 26 de novembro. E a unidade contará com o Centro de Referência da Mulher de Franca, que vai funcionar em anexo à delegacia. O projeto foi coordenado pessoalmente pela presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza e líder do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Helena Trajano.

E para a inauguração da nova sede da DDM e do Centro de Referência da Mulher, Franca deve receber a presença do governador de São Paulo, João Dória, e do secretário de Estado da Segurança Pública, João Camilo Pires.

A NOVA DDM

O projeto da nova Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher de Franca foi desenvolvido para que o local fosse mais humanizado. Para isso, contou com a assinatura do decorador Fabiano Correia e da personal organizer, Pâmela Ferrante, além da força de trabalho e dedicação de vários profissionais, como o artista plástico Samuel Freiria, que espalhou sua arte pelas paredes da unidade. “Estamos certos que estamos escrevendo um novo capítulo no serviço de proteção à mulher francana, na esperança que os atuais índices vergonhosos de violência contra a mulher não mais se repitam na nossa amada Franca”, destaca a coordenadora do Núcleo Franca do Grupo Mulheres do Brasil, Eliane Sanches Querino.

O CENTRO DE REFERÊNCIA

Mais que tornar a DDM um local mais humanizado e eficiente para combater o aumento de casos de violência doméstica e feminicídios, o projeto idealizado pelo Grupo Mulheres do Brasil também tem como proposta tornar a unidade eficiente. Para isso, através do Centro de Referência da Mulher de Franca serão oferecidos oficinas e cursos profissionalizantes, em parceria com instituições especializadas, para dar opções de sustento a mulheres que queiram romper com o ciclo de violência em suas realidades. “Quando uma mulher vitimizada consegue fazer a denúncia, ela precisa de todo o acolhimento, principalmente psicológico. Também tem necessidade de orientação jurídica, apoio e encaminhamento para quem pode ajuda-la. Tudo isso ela encontrará no Centro de Referência”, justifica a co-líder do Comitê Niara do Núcleo Franca do Grupo Mulheres do Brasil, Dora Bittar.

Segundo a co-líder do Comitê de Combate à Violência Contra Mulher do Grupo, Najara Aparecida Rodrigues, tudo está sendo organizado por elas, até a limpeza. “A gente quer humanizar a delegacia. A atual é muito fria. A mulher vítima de violência já chega fragilizada e não dá para chegar em um ambiente hostil. Até a parte da acessibilidade está sendo revista, para que ela não tenha que usar a mesma entrada”, diz Najara.

A Delegacia da Mulher funciona à Rua Voluntários da Franca, 2.557, Centro. 


Artigos Relacionados