Nana Caymmi apoia Bolsonaro, ataca Caetano e Chico, e até sua família

Aos 78 e prestes a lançar dois discos, cantora deu entrevista à "Folha" e causou polêmica com respostas

Postado em: - Atualizado em: em Um Toque a +

Aos 78 e prestes a lançar dois discos (o que define como sua ‘saída à francesa’ da música) Nana Caymmi conversou com o jornal ‘Folha de S.Paulo‘ e causou polêmica e reações às suas declarações. Muitas de suas falas foram de cunho político, e outras a respeito de suas netas e sua sobrinha, Alice Caymmi, que também se dedica à música.

Como a própria Folha definiu, em 71 minutos de entrevista, Nana falou 89 palavrões, e não fugiu de nenhum assunto, entre eles, política. Ela revelou ter votado em Jair Bolsonaro, contrariando parte da classe artística, e revela:

“É injusto não dar a esse homem um crédito de confiança. Um homem que estava f*dido, esfaqueado, correndo para fazer um ministério, sem noção da mutreta toda… só de tirar PMDB e PT já é uma garantia de que a vida vai melhorar. Agora vêm dizer que os militares vão tomar conta? Isso é conversa de comunista. Gil, Caetano, Chico Buarque. Tudo chupador de Lula. Então, vão pro Paraná fazer companhia a ele. Eu não me importo.”

Ainda sobre política, Nana acredita que não deve voltar a se apresentar um dia na Bahia, e aponta: “Bahia não tem nada, é PT”.

Netas em show do Belo

Nana conta em entrevista ao jornal que suas duas netas, a seu ver, são um exemplo da dificuldade de se manter obras como a da cantora e as de Dorival Caymmi, seu pai.

“Liguei pra Denise, minha filha, e perguntei das meninas. ‘Ah, elas não estão aqui, foram assistir ao show do Belo’. Eu falei: ‘O quê?’. Não tenho nada contra a pessoa. Mas duas bisnetas de Dorival Caymmi! Eu já fazia música com quatro anos. Meti bedelho quando vivi com João Donato, com Gil, com Claudio Nucci. Quer dizer, eu comia a canção popular brasileira e fazia parte. Na música e na cama”, disse ela à ‘Folha’.

‘Sobrinha que não deu mel’

A cantora fala também de sua sobrinha, Alice Caymmi, que também foi para o lado da música, cantando pop. “Eu tinha muita esperança de que ela fosse pro meu caminho. Achei que Alice ia dar mel, mas não deu”, diz Nana.

Em resposta à entrevista, Alice se manifestou na sexta-feira (29) sobre a declaração: “Nunca pedi aprovação de ninguém, nunca pedi ajuda, nunca pedi um real, mas decido exigir respeito. Não concordo em nenhuma instância com o que pessoas que compartilham meu sangue pensam e fazem.”


Artigos Relacionados