Municípios da região denunciam Santa Casa por rompimento de contrato

Para secretários de Saúde da região, hospital agiu de forma unilateral , fechando as portas aos pacientes

Postado em: em Política

A situação de atendimento na Santa Casa de Franca é mais grave do que se imagina. 

A recusa de atendimento a dois pacientes com suspeita para Covid-19 abriu o sinal de alerta às cidades que compõem a Diretoria Regional de Saúde da 8ª região do Estado. 

Além disso, autoridades de alguns desses municípios dizem que o rompimento do contrato de forma unilateral.

Uma das denúncias mais graves contra a Santa Casa partiu do secretário de Saúde de Restinga, Moisés Radaelli. 

“Lembrando que Restinga tinha um contrato com a Santa Casa e foi rompido de forma unilateral, deixando de fazer os atendimentos após o fechamento da UBS, recebendo todo mês pelos atendimentos”.

Cristais Paulista, por exemplo, também alegou o mesmo. "E, além disso, alegaram que o problema era do Covid-19, ou seja , elegeram as vidas que seriam salvas". 

Para a Secretaria de Saúde daquele Município, o que fizeram foi ruim. “Eles deram as costas ao contrato assinado desde 2017”.

Já o secretário do Comam, Marcos Silva, ressaltou nas rede social que “os municípios da região pagam para a Santa casa por essa prestação de serviços, não é gratuito não. Todos pagam, tem até uma lista de valores por cada tipo de serviço”.

A Delegacia Regional de Saúde de Franca é responsável pelos seguintes municípios: Aramina,Buritizal, Cristais Paulista, Franca, Guará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Ituverava, Jeriquara, Miguelópolis, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina, Sales Oliveira, São Joaquim Da Barra, São José Da Bela Vista.


Artigos Relacionados