Mesmo em queda, Franca e Ribeirão estão entre as que mais empregam em SP

Comparando com 2018, cidades têm retração no número de vagas; Bebedouro tem recuperação em todos os setores

Postado em: em Trabalho

Franca, Bebedouro, Pontal e Ribeirão Preto estão entre os dez municípios paulistas que mais geraram empregos entre janeiro e julho deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Por outro lado, os dados apontam queda no comparativo com o mesmo período do ano passado, com exceção de Bebedouro, que registra recuperação em quase todos os setores: o saldo em sete meses é de 2,6 mil vagas de trabalho abertas.

Ribeirão teve o pior desempenho entre as quatro cidades. O saldo de vagas entre janeiro e julho passou de 3.035 para 2.271 – queda de 25%. O setor de serviços foi o único a apresentar recuperação: o saldo de contratações no período passou de 2.688 para 3.153 – alta de 17%.

Com saldo negativo de 360 vagas, o comércio registrou queda de 490%. Entre janeiro e julho de 2018, o acumulado era de 61 postos de trabalho fechados. Os dados da construção civil são ainda piores: o saldo passou de 377 vagas abertas, em 2018, para 256 a menos, este ano.

Franca

Em Franca, os dados do Caged apontam queda de 16,7%: entre janeiro e julho do ano passado haviam sido gerados 5.106 empregos, contra 4.249 no mesmo período desse ano. Comércio, indústria e administração pública se destacaram na geração de empregos.

Nas fábricas de Franca, o total de vagas abertas passou de 2.958 para 3.270 no comparativo com o último ano – crescimento de 10,5%. Já o comércio abriu 221 postos de trabalho, contra 133 no mesmo período do ano passado – alta de 66%.

A administração municipal de Franca, por sua vez, soma 83 contratações em sete meses, contra 31 vagas fechadas entre janeiro e julho de 2018. Agropecuária, construção civil e serviços registraram quedas de 81%, 71% e 62%, respectivamente, no mesmo período.

Pontal

Apesar do crescimento de 15% nos postos de trabalho abertos na indústria, Pontal amarga queda de 5% no saldo da geração de empregos em sete meses. Entre janeiro e julho, a cidade abriu 2.517 vagas, contra 2.652 no mesmo período de 2018.

O setor de agropecuária gerou 372 empregos, mas isso representa queda de 44% em relação ao ano passado, quando foram abertas 675 vagas. Os 180 postos de trabalho abertos pelo setor de serviços também significam redução de 14%, no comparativo com 2018.

Bebedouro

Único município que desponta na região de Ribeirão Preto, Bebedouro registra geração de 2.603 empregos entre janeiro e julho, segundo o Caged. No mesmo período do ano passado, os moradores lamentavam o fechamento de 207 postos de trabalho.

Com exceção de serviços, que encerrou oito vagas este ano, contra 154 abertas no ano passado, os demais setores apresentam bons resultados em Bebedouro, com destaque para agropecuária, que gerou 2.375 postos de trabalho entre janeiro e julho.

Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico de Bebedouro, Lucas Gibin Seren, os dados referentes ao setor de agropecuária tem relação direta com a safra da laranja, que tem início em maio e segue até janeiro do próximo ano.

“Esses números refletem uma questão sazonal por causa da safra. Começou a safra da laranja e contrata-se muito trabalhador. As safras, para nossa sorte, têm sido cada vez mais longas, quase emenda uma com a outra. Mas, isso se deve à safra da laranja”, explica.

Ainda segundo Seren, a finalização do Hospital Estadual, a inauguração de novos loteamentos e a construção de uma unidade da multinacional Cargill, cujo investimento é de R$ 550 milhões, têm contribuído para a geração de empregos na cidade.

“Temos uma nova fábrica sendo construída, é o maior investimento privado na história da cidade, quase R$ 700 milhões e no pico da obra deve chegar a 1 mil trabalhadores. Isso já está trazendo impacto positivo para a cidade”, afirma.


Artigos Relacionados