Marina Person fala de seu novo reality de coquetéis, 'Bar Aberto', na Band

De acordo com Marina, a atração, que revelará um bartender amador ao Brasil, promete surpreender

Postado em: em Um Toque a +

Marina Person: 'uma das coisas legais é a pessoa de casa se sentir no mesmo nível que os concorrentes'

Um programa que ensinará os telespectadores a arte de fazer bons drinks sem sair de casa e com os materiais que tiver à mão. É esse o mote que envolve o novo reality da Band, "Bar Aberto", apresentado por Marina Person e pelo bartender Márcio Silva. A estreia será no dia 13 de outubro.

O programa, que irá ao ar toda terça-feira após o "Jornal da Band", acompanhará durante dois meses dez participantes apaixonados por bebidas. Eles vão participar de enfrentamentos entre si que vão testar quesitos como criatividade, talento, senso estético e conhecimento.

A cada edição, alguém se despedirá até que o grande vencedor seja revelado. O prêmio será uma viagem para conhecer as casas das mais importantes marcas da companhia Pernod Ricard com tudo pago. Além disso, o vencedor também ganhará um bar personalizado e equipado feito exclusivamente para sua casa.

De acordo com Marina, a atração, que revelará um bartender amador ao Brasil, promete surpreender. "Uma das coisas legais é a pessoa de casa se sentir no mesmo nível que os concorrentes, já que não é exigido muito conhecimento prévio e técnicas rebuscadas. Eu já aprendi a fazer bons drinks que vão além do óbvio e que são bem fáceis. Já preparei alguns no último final de semana", relembra.

Na competição, os concorrentes serão colocados à prova. Um dos quesitos importantes será a empatia com o público já que a profissão exige essa relação mais próxima ao cliente. "Ficou evidente que muitos que não tinham tanta experiência conseguiam uma performance melhor do que os que já tinham alguma. Vai do talento", define Marina que já diz torcer para que haja uma segunda temporada.

A apresentadora diz acreditar que um dos fatores que a fazem ter certeza de que o programa terá sucesso é justamente a necessidade na quarentena de fazermos tudo de casa. 

"Assim como em realities de gastronomia onde todos gostam de ver o outro cozinhando, pelo lado dos coquetéis há potencial, pois muita gente aprecia e tem vontade de fazer uma bebida em casa, pois fora dela está mais difícil agora. Queremos tirar aquela ideia de que para tomar determinado drink é preciso ir a um bar chique e caro", adianta Marina.

Dentre as maiores qualidades a serem apreciadas pelos jurados estão a capacidade do bartender de se adaptar ao que tem em mãos, sua criatividade e o bom gosto para preparar uma iguaria bonita.

Outro fator que chamará a atenção positivamente, na visão de Marina, será a diversidade do elenco escolhido. "Conseguimos colocar 50% de mulheres, 40% de negros, temos duas pessoas trans e isso eu não me lembro de ter visto em realities. Fiquei bem feliz de poder trabalhar esses temas pela primeira vez em TV aberta. É importante que tenhamos esse espaço de representatividade", afirma.


Artigos Relacionados