MAIS SOBRE A MÚSICA

Postado em: - Atualizado em:

“COPY & PASTE”


No último domingo, dia 29 de abril, dando start em uma nova fase de minha vida musical, iniciei atividades ao lado meu mais que considerado amigo-irmão guitarrista e cantor ITO REIS, ou simplesmente Ito. Companheiro de Banda Batman, nosso primeiro grupo musical, no final dos anos 60, início dos 70 e, posteriormente, integrante do Conjunto Milionários, já no finalzinho dos anos 70, foi meu parceiro na noite nos anos 80 e 90 e, modéstia à parte, deixamos nossa marca por aí.

Muito bem,no último domingo, como ia dizendo, nosso reencontro se deu no Café Com Arte, realizado no Centro de Convivência Mário Bettarello e, quando oferecemos ao público presente uma seleção com músicas dos anos da Jovem Guarda, a reação foi inesperadamente positiva ! Interação total, com todos dançando ao som dos sucessos marcantes de Roberto Carlos, Sérgio Reis, Golden Boys, Carlos Gonzaga e até Creedence (sapos de fora...rsss). Constatamos que o repertório daquela fase ainda está inteiramentepresente nas mesntes das pessoas. Muito bom !

Então...Isso me remeteu à leitura deste texto sobre a “Jovem Guarda”, em um dos livros de minha coleção, que passo a transcrever.

“A partir dos anos 60, as novas tendências da música popular passaram pela televisão. Surgiram Roberto Carlos e Erasmo Carlos, que formaram uma das parcerias mais constantes da música brasileira, gerando inúmeros sucessos. Veio logo o programa “Jovem Guarda”, transmitido pela TV Record e comandado por Roberto, nas “jovens tardes de domingo” do ano de 1965. Divulgando o iê-iê-iê, versão brasileira do rock americano e inglês, revelava também uma das mais queridas cantoras brasileiras, a “ternurinha” Wanderléa.

O rock americano já tinha aficionados no Brasil desde meados da década de 1950, ganhando popularidade com os irmãos Celly e Tony Campello no início da década seguinte, mas foi só com a Jovem Guarda que o ritmo conquistou os jovens. O grande sucesso veio com a música “Quero Que Vá Tudo Para o Inferno”, de Roberto e Erasmo Carlos, que se tornaria um hino do movimento, a partir de 1966.

Em termos formais, o iê-iê-iê, que introduziu a guitarra elétrica na música feita no Brasil, era o oposto da bossa nova. Um ritmo simples, acelerado, sobre uma base harmônica que freqüentemente não ia além de três acordes. No entanto, muitos estudiosos viram um pouco em comum entre os dois gêneros: o despojamento do canto.

Entre os principais participantes da Jovem Guarda destacam-se : Eduardo Araújo, Ronnie Cord, Martinha, Meire Pavão, Jerry Adriani, Sérgio Reis, Vanderley Cardoso e os conjuntos The Golden Boys, Os Incríveis e Renato & Seus Blue Caps. Mas muitos outros vieram na esteira, mesmo sem participação tão ativa.

A primeira idéia dos diretores da TV Record era chamar o programa “Jovem Guarda” de “Festa de Arromba”, o nome de uma música de grande sucesso (até hoje, nas festas e bailes) de Erasmo Carlos. Mas a idéia não vingou, em parte, porque não seria Erasmo o principal apresentador, em parte, porque quando a música ficasse desgastada isso poderia prejudicar o programa.

Um publicitário de renome na época apresentou a idéia do nome escolhido, baseado numa citação do líder bolchevique Lênin :”O futuro do socialismo repousa nos ombros da jovem guarda, porque a velha está ultrapassada”.

O programa terminou em 1969, mas sua produção seria relida pelos grupos de rock brasileiros a partir de 1980.”

E suas canções, conforme disse lá no início, são sucesso “de arromba” em qualquer festa ou baile até os dias de hoje.

“Vejam só que festa de arromba...”; “Meu carro é vermelho, não uso espelho pra me pentear...”; “Se você pensa que meu coração é de papel...”; “Tarde fria, chuva fina...”; “Era um garoto, que como eu...”. e assim vamos !!!


BENY CHAGAS MUSIC SHOW

A partir desta semana deixamos de apresentar nosso programa musical dedicado à bossa nova, blues, r&b. soul e jazz através da FM Mais Brasil, de Franca, SP.

Agradecemos imensamente a todos os que nos prestigiaram enquanto estivemos no ar, através da FM “aberta”, como é chamada hoje uma emissora convencional, nas manhãs de sábado e domingo e, por último, também às segundas e terças-feiras, às 20 horas.

Nosso primeiro programa foi ao ar através da extinta Unifran FM, em fevereiro de 2010 e, para nossa honra e alegria, arrebanhou um sem número de seguidores que sempre nos enviaram opiniões e sugestões, sempre enriquecendo sobremaneira nosso repertório.

Agora, acompanhando a evolução da comunicação, a exemplo do que acontece com este Jornal da Franca, a tendência é a internet. Cada vez mais pessoas sintonizam (conectma-se com) suas emissoras prediletas através do celular, do tablet, da smart tv e dos multimídias instalados nos veículos !

Como não queremos ficar à parte, estamos nos rendendo aos acontecimentos e migrando de vez pra esta nova e cada vez mais evoluída plataforma, já com transmissão sendo realizada pelas emissoras citadas abaixo. E muitas outras virão.

E, muito em breve, nossa web rádio estará disponível através de nosso site www.benychagas.com.br e também através de aplicativos facimente instaláveis em aparelhos celulares.

NÃO ABRO MÃO DE SUA COMPANHIA !!!

CONFIRA A SINTONIA:

radionovaip.com.br – Ribeirão Preto - SP : diversos horários aleatórios

ponto1000-Brasil.com – Ribeirão Preto - SP : Sexta 22h, Sábado 10h e 22h e Domingo 12 e 22h.

portalmusicalfranca.com.br – Franca – SP : Domingo a Sexta 18h e Sábado 19h.

radiovivamanaus.com.br (Web Rádio Studio Y) – Manaus – AM – Domingo 18h (19h Brasília).

Continue enviando suas sugestões para inclusão nos roteiros de programação: (16) 3017-2030; WhatsApp (16) 9 8223 9669; e-mails:[email protected]/[email protected]


*Esta coluna é semanal e atualizada às segundas-feiras